A Polícia Civil prendeu três pessoas e apreendeu seis toneladas de produtos impróprios para consumo durante a Operação Honey e Meat, deflagrada na quinta-feira (11), em , cidade a 225 km de . Os comerciantes presos vendiam produtos com restos de insetos, corpos estranhos, podres e contaminados.

Também foram apreendidos medicamentos, cigarros eletrônicos, cigarros paraguaios, além de outros produtos contrabandeados cujo consumo são proibidos no Brasil.

A operação foi deflagrada após moradores da cidade denunciarem à Decon (Delegacia Especializada de Repressão aos Crimes Contra as Relações de Consumo) e (Agência Estadual de Defesa Sanitária Animal e Vegetal) que alguns estabelecimentos vendiam produtos em desacordo com a legislação. 

Após isto, equipes de inteligência foram encaminhadas para o município e visitaram 30 estabelecimentos, destes identificaram 14 locais – alvos da operação – tendo três proprietários presos por expor à venda alimentos podres e contaminados, além de expor a vida a risco, no caso do clandestino de botijões de gás.

Outros comerciantes foram orientados para se adequarem à legislação, já que os produtos que vendiam não ofereciam risco à saúde, apenas precisam se adequar às normas.

Os produtos apreendidos foram descartados pela Iagro, seguindo a legislação ambiental. 

Ainda foram cumpridos quatro mandados de busca e apreensão que apuram a venda clandestina de mel e , em tese, de origem clandestina, os abates de bovinos e suínos ocorreriam a poucos quilômetros da cidade e seriam vendidos nesses comércios, alvos da operação.

A Decon aguarda as perícias de local e dos eletrônicos apreendidos para dar seguimento às investigações.