O homem de 27 anos que ateou fogo na namorada de 40 anos, em Água Clara, a 193 quilômetros de Campo Grande, invadiu a casa da amiga da vítima na intenção de colocar fogo na residência da mulher, logo após o crime, nesta quarta-feira (10). 

Segundo o delegado Felipe Rossato, após atear fogo na namorada, que conseguiu escapar se jogando no chão na tentativa de apagar as chamas de seu corpo, o homem teria separado mais gasolina e um pedaço de colchão. 

A mulher foi socorrida e o homem, achando que ela pudesse ter ido para a casa da amiga, foi até o local. Ele invadiu a residência pelo telhado entrando no imóvel, mas quando viu que a namorada não estava na casa saiu, deixando o galão com gasolina no local e o pedaço de colchão.

Ele foi preso e encaminhado para a delegacia. O homem ainda fez ameaças a namorada. “Eu já peguei um ano, se eu pegar 15 anos por causa de você não dá nada!”, teria dito.

Ateou fogo e trancou a porta

Uma mulher de 40 anos sofreu queimaduras nas pernas e braços após ter o corpo incendiado pelo namorado de 27 anos. O autor trancou a porta de casa para que a vítima não saísse. A vítima foi levada para o hospital da cidade e contou aos policiais que era usuária de drogas e havia comunicado ao namorado que tinha conseguido uma internação para ela tratar o vício e queria que ele também fizesse o mesmo.

Segundo ela, o namorado também seria alcoólatra. Na madrugada de quarta, quando a vítima estava em casa, o homem a mandou embora. Ela, então, arrumou seus pertences para sair da residência, mas ele havia bloqueado a porta com um fogão. 

Quando a mulher se virou, viu que o autor estava com um balde com gasolina e jogou nela o líquido ateando fogo. Desesperada, ela conseguiu tirar o fogão da porta, saindo para o quintal e se jogando no chão, rolando para que as chamas apagassem.

O namorado ficou assistindo e não a ajudou, só apagou as chamas que se alastraram para dentro da casa. “Eu já peguei um ano, se eu pegar 15 anos por causa de você não dá nada!”, ele ainda teria dito.

Os policiais foram até a casa onde encontraram o autor dizendo que tinha o direito ao silêncio. O acusado foi algemado e levado para a delegacia.

Em revista ao imóvel, foi encontrado o balde e o galão de gasolina que ele furtou de seu tio. Dentro do imóvel havia um odor muito forte característico de combustível fóssil. Também estava perceptível que houve um incêndio no local, pois o sofá de cor azul estava visivelmente queimado.