O serralheiro Ivo Pimenta, de 67 anos, teve a moto furtada na manhã desta terça-feira (31), enquanto fazia um orçamento para um cliente na Rua Cruzeiro, no Bairro Santo Antônio, em Campo Grande. Ele já teve outras duas motos furtadas e uma outra roubada.

O furto ocorrido nesta manhã foi filmado por câmeras de segurança. Nas imagens é possível ver uma dupla de moto. Eles entram em uma rua paralela e pouco depois um deles segue em direção a moto. o suspeito analisa e sai empurrando o veículo, que estava estacionado na frente da casa do cliente, onde o proprietário do veículo fazia um orçamento.

Ivo afirma que só descobriu que a moto foi furtada quando saiu da casa do cliente e não encontrou o veículo. “Sai e não estava mais lá. A sensação é de impotência. Estava trabalhando honestamente, cuidando dos meus compromissos e vem um indivíduo e retira o que tenho por direito porque trabalhei e comprei”, relata.

A moto Honda Bros, placa OOT 3649, de Campo Grande foi comprada em 2015 e, atualmente, vale cerca de R$ 12 mil. Depois de outras experiências, para Ivo, não resta esperança de recuperar o veículo.

“Esta é a quarta vez que isso acontece. Tive duas motos furtadas e uma delas estava com meu filho e foi roubada durante um assalto no estacionamento da faculdade. Até hoje não recuperei nenhuma delas. A nossa justiça é muito falha. A Polícia prende, o juiz solta e eles continuam cometendo crimes e nós que trabalhamos, ficamos com o prejuízo porque na maioria das vezes não recuperam”, lamenta.

Além do prejuízo da moto furtada, o serralheiro terá que investir na compra de outra. “É meu instrumento de trabalho. Não uso para lazer, mas para atender meus clientes porque ando pela cidade toda e a moto é mais econômica. Vou ter que me sacrificar e comprar outra mais velhinha, pagar em prestações porque não posso ficar sem trabalhar. Tenho família para cuidar e não posso me dar ao luxo de ficar em casa e também não concordo com outra forma de ganhar dinheiro, além do trabalho”, ressalta.

O boletim de ocorrência de furto foi registrado nesta manhã na 7ª Delegacia de Polícia de Campo Grande, onde o caso é investigado. Informações sobre o veículo podem ser repassadas à Polícia e à equipe de reportagem do Jornal Midiamax.

Fale com o Midiamax

Tem alguma denúncia, flagrante, reclamação ou sugestão de pauta para o Jornal Midiamax? Envie direto para nossos jornalistas pelo WhatsApp (67) 99207-4330. Acima de tudo, com sigilo garantido por lei.

Acompanhe nossas atualizações no Facebook, Instagram e Tiktok.