A Operação Helix, deflagrada pela Polícia Federal, na manhã desta quinta-feira (11), cumpriu 10 mandados de busca e apreensão em Mato Grosso do Sul. Uma pessoa foi presa. A lucrou mais de R$ 30 milhões com o tráfico de cocaína que era transportada por helicóptero.

Os mandados cumpridos foram: cinco mandados em , um em Dourados, dois em e dois em . A aconteceu na cidade de Ponta Porã. Em Mato Grosso do Sul, ocorreu a apreensão de veículos.

Segundo informações da Polícia Federal, a quadrilha fazia o carregamento da cocaína em uma fazenda do Paraguai e usava o interior de São Paulo e Paraná para fazer o descarregamento usando os portos de Santos e Santa Catarina. A cocaína era enviada para a Europa.

A casa de um pecuarista de Ponta Porã voltou a ser investigada pela Polícia Federal, e a ação fazia parte da Operação Helix. Em novembro de 2019, o pecuarista teve o imóvel vasculhado pela Polícia Federal durante a Operação Patron, que tinha o doleiro Dario Messer como alvo.

Uma viatura da PF estava estacionada na frente do imóvel, que fica na Avenida Brasil, na região central de Ponta Porã, na fronteira com Pedro Juan Caballero.

Quadrilha lucrou R$ 30 milhões

Segundo a PF, nos 2 anos de investigação foram apreendidas mais de 2 toneladas de cocaína. Foram apreendidos nove helicópteros e um caminhão que eram utilizados para o transporte da droga proveniente do Paraguai. Também foram deferidos o sequestro de diversos bens móveis, como veículos e helicópteros, e um imóvel da organização criminosa.

Os valores das apreensões ultrapassam R$ 30 milhões de reais, além do bloqueio de valores e contas bancárias das pessoas e empresas envolvidas. A também contou com cooperação jurídica e policial com o Paraguai, com auxílio da Adidância e Oficialato de Ligação da PF.

Os carregamentos da droga eram feitos em uma fazenda localizada naquele país. A PF também cumpre um mandado de prisão contra um dos investigados que se encontra no Paraguai.