Foi ouvido nesta segunda-feira (16) o garçom, suspeito de agredir violentamente o artista plástico Jonir Figueiredo em 28 de dezembro de 2022. Ele confirmou as agressões e aguarda as investigações em liberdade.

Conforme o delegado Giuliano Biaccio, titular da 1ª Delegacia de Polícia Civil, o garçom foi ouvido e confirmou as agressões. No entanto, alegou que foi agredido e provocado anteriormente por Jonir.

Ainda segundo o delegado, equipes da polícia foram até a , para avaliar o estado de saúde de Jonir. Caso seja comprovado ser grave, a tipificação do crime registrado inicialmente como lesão corporal dolosa pode ser alterada.

Também conforme Biaccio, no dia 28 de dezembro a família do artista plástico registrou o desaparecimento dele pela delegacia virtual. Isso, porque os parentes não conseguiam contato com ele, sendo que a última vez que Jonir foi visto seria no dia 23 de dezembro, na Fundação de .

Já no dia 29 de dezembro, o próprio artista plástico procurou a delegacia para registrar um boletim de ocorrência. Na ocasião, ele afirmou ter ficado três dias desacordado em casa, após ser agredido em um bar durante uma confraternização.

Ainda segundo Jonir, ele foi agredido com socos no rosto e rasteiras. Então, relatou que conhece o agressor, que seria namorado de uma amiga e garçom em um restaurante na cidade.

O artista plástico relatou que as agressões possivelmente teriam ocorrido por ciúmes.

Mobilização da cultura

Após relatos das agressões, coordenadores do Fórum Estadual de Cultura se mobilizam para ajudar o artista. Sem plano de saúde e depois de passar por várias unidades de saúde, Jonir está sob cuidados constantes na Santa Casa.

Ainda bastante abalado física e emocionalmente, Jonir evita falar sobre as agressões sofridas no mês passado. Assim, amigos divulgaram o Pix de Jonir Benedito de Figueiredo (CPF: 10388109149) para quem tiver interesse em ajudá-lo financeiramente.