Após motorista auxiliar de 26 anos ser preso com 338,5 quilos de cocaína, droga avaliada em R$ 17 milhões, no início da tarde desta terça-feira (05) , em , cidade a 160 quilômetros de Campo Grande, empresa fez postagem nas .

“Nosso estragou e não conseguimos concluir a viagem para São Paulo. Desde já agradecemos a compreensão”, diz  a publicação da empresa, feita logo após a ocorrência registrada pela Defron (Delegacia Especializada de Repressão aos Crimes de Fronteira).

De acordo com a polícia, equipe da Defron, durante abordagens na rotatório após o pedágio de Rio Brilhante, sentido a , na , abordou um ônibus de uma empresa de turismo de Dourados que seguia para o estado de São Paulo.

Segundo a polícia, durante a inspeção, constatou-se que o ônibus possuía um fundo falso conhecido como “mocó”. Em revista ao compartimento, os agentes encontraram tabletes de cocaína e muitos aparelhos celulares.

O motorista auxiliar  confessou o crime e informou que era o responsável por esconder os produtos no ônibus e que o motorista não tinha nenhum envolvimento, além de todos os passageiros.

 Os passageiros alegaram que estavam no ônibus, mediante pagamento de passagens, para irem até a cidade de São Paulo, na região do Brás para fazerem compras, inclusive com a presença de guia de turismo. Ainda segundo a polícia, todos foram qualificados, identificados e liberados no local.

Tanto o motorista quanto o motorista auxiliar foram conduzidos para a delegacia. O motorista auxiliar foi preso em flagrante por tráfico de drogas e, o motorista, nesse início de investigação, ouvido na condição de testemunha e liberado.

Foto: Reprodução, redes sociais

Saiba Mais