A Justiça decretou a preventiva do de Albina Freitas Ribas Luiz Gonçalves, de 49 anos, na manhã desta quinta-feira (2), após passar por audiência de custódia, em . No dia 7 de fevereiro, Albina registrou um boletim de ocorrência contra o autor.

O autor passou pela custódia e o Alexandre Antunes determinou a conversão da prisão em preventiva. O homem será enviado para um presídio em Mato Grosso do Sul ainda a ser definido pela Agepen.

O crime aconteceu quando a vítima seguia para o trabalho, em uma escola municipal no Nova Lima. No caminho, o ex-marido discutiu e também agrediu a vítima.

Quando ela parou nas proximidades de um açougue, foi novamente abordada pelo ex-marido. Armado com uma faca, ele atingiu Albina várias vezes. Ela ainda foi socorrida pelo Samu (Serviço de Atendimento Médico de Urgência), encaminhada para a Santa Casa. No entanto, não resistiu aos ferimentos e morreu após uma parada cardiorrespiratória.

‘Vão ver corpos’

No dia 7 de fevereiro, Albina fez um boletim contra o marido após ser agredida por ele. No dia em questão, Albina havia saído de casa para caminhar e ao voltar para a residência, foi acusada pelo autor de ‘querer se mostrar para homens na rua’. 

Assim, ele passou a agredi-la com socos e fez a ameaça. “Se você me denunciar, a polícia vai encontrar corpos na casa”, disse o homem. Exatos 21 dias depois da vítima registrar o boletim de ocorrência contra o autor, ela foi assassinada no meio da rua com diversas facadas. 

O autor ainda disse que sabia dos registros de boletins de ocorrência contra ele por Albina, um total de 2. Mas, que se sentia deprimido desde o fim do relacionamento e queria reatar com a vítima, que negava.

Quando registrou a ocorrência contra o autor, Albina revelou na delegacia que o relacionamento estava desgastado e que pedia para o homem deixar a casa, mas ele se negava. 

Saiba Mais