A Polícia Civil de , a 338 quilômetros de , investiga um caso de estupro contra uma de 10 meses, que foi levada para a UPA (Unidade de Pronto Atendimento), na noite de sábado (18). 

Informações são de que a bebê havia sido deixada pela madrasta com seus pais para que ela e marido pudessem sair, e quando voltou e foi dar banho e trocar as fraldas da menina percebeu que ela estava com sangramento nas partes íntimas.

Neste momento, a mulher levou a bebê para a unidade de saúde, que, segundo o site JP News, teria relatado não ter experiência com casos de violência sexual, mas o grande sangramento e marcas nas partes íntimas da bebê apontavam para um caso de estupro. 

A polícia e o Conselho Tutelar foram acionados e a bebê foi levada ao Imol (Instituto de Medicina e Odontologia Legal) para exames de corpo e delito. Ainda de acordo com a madrasta, ela teria afirmado que a bebê havia sido deixada na confiança de sua mãe e seu pai e que, na casa, não haveria outras pessoas além de seus pais. 

Ainda segundo a mulher, no momento em que a teria ficado com seus pais, sua mãe teria ficado do lado de fora da casa, instalado decoração natalina e no interior da casa onde a criança estava, apenas seu pai teria ficado, levantando a hipótese de que seu próprio pai poderia ser o principal suspeito do suposto estupro, contra a filha do genro. O caso será investigado pela DAM ( de Atendimento à Mulher).

Saiba Mais