Naiade Aparecida Gutterres Weidas, de 35 anos, foi assassinada com dois tiros na tarde de sábado (31), em Corumbá, a 417 quilômetros de Campo Grande. O marido é o principal suspeito e teria jogado o corpo da mulher no chão da UPA (Unidade de Pronto Atendimento), no Aeroporto, fungindo em alta velocidade.

A foi acionada pela equipe da unidade informando que a vítima foi arremessada de um carro Chevrolet Onix de cor branca. Um funcionário afirmou que um homem retirou ela do carro dizendo que precisava de cuidados médicos. Em estado de choque, o servidor não soube informar características do suspeito, conforme o boletim de ocorrência.

Minutos depois, Naiade não resistiu aos ferimentos e morreu. A equipe médica confirmou que a morte foi causada por dois tiros, sendo um tórax e nas costas. Outras testemunhas relataram o trajeto feito pelo carro antes da chegada até a UPA, pois a vítima estava sem documentos e havia sido atendida sem identificação.

Feminicídio por ciúme

Horas depois, uma mulher procurou a polícia informando que o ex-namorado tinha presenciado o crime. O rapaz contou aos policiais que estava instalando aparelhos de ar condicionado na casa da vítima, na Rua Rita de Cássia Santana, bairro Conjunto Guato, onde também estava o marido. O casal havia começado uma discussão por ciúmes, onde Naiade questionava sobre um mulher, o acusado teria se exaltado e a discussão ficou aflorada.

A testemunha disse que pouco depois ouviu dois disparos, viu a mulher ferida e o homem desabafar “Cara, fiz merd*, estou f*dido. Não era para ter atirado”. O acusado pediu ajuda para colocar a mulher dentro do carro, pois o rapaz disse que iria procurar ajuda.

Temendo que o acusado retornasse ao endereço, ele saiu e procurou a ex-companheira para contar a situação.

O acusado ainda não foi localizado e fugiu com o carro da vítima. O crime está sendo investigado.