Com apoio do Dracco (Departamento de Repressão à Corrupção e ao Crime Organizado) e SISP (Sistema Integrado de Segurança Pública), a Polícia Civil de Rio Verde, cidade a 203 km de Campo Grande, localizou um adolescente, de 12 anos, que estava compartilhando pelas redes sociais informações sobre um suposto ataque em uma escola da cidade.

Na divulgação dizia que o ataque ocorreria nesta segunda-feira (10) pela manhã e à tarde.

O núcleo de inteligência, por meio de engenharia social e inteligência cibernética, conseguiu encontrar o adolescente de 12 anos, dono do perfil. Ele é aluno da escola que seria ‘atacada’.

A polícia cumpriu mandado de busca e apreensão no domingo (9) em dois endereços e apreendeu um aparelho de celular utilizado pelo adolescente. Ele foi encaminhado na presença dos pais até a delegacia e um boletim de ocorrência foi registrado por ameaça e incitação ao crime.

O menino foi ouvido e confirmou que criou o perfil, fez a convocação, obteve vários seguidores, mas não soube dizer o motivo pelo qual resolveu praticar ação.

Os pais ficaram espantados com a notícia após o filho confirmar os fatos.

Edson Caetano, delegado de Rio Verde, informou que o ataque não era real. “Foi confirmado que não era um ataque real e sim uma pessoa que queria assustar pessoas e ganhar certa notoriedade”. Alertou ainda que é mito quando se diz que a internet é terra de ninguém. “Na verdade, tudo que é feito no mundo da internet deixa rastros, tanto é que foi assim que chegamos ao autor, que será responsabilizado”, afirmou.

Nesta segunda-feira, policiais estiveram nas escolas da cidade. A polícia ainda orienta os pais a estarem mais próximos das crianças e adolescentes e ficarem atentos com as amizades e a quais sites tem acesso, por exemplo.