A Polícia Civil de Campo Grande investiga uma mulher, de 32 anos, que desapareceu com 100 peças de semijoias consignadas que se comprometeu a revender. Para o representante comercial, que fechou negócio com a suspeita, ficou prejuízo de R$ 22 mil.

De acordo com o boletim de ocorrência registrado nesta segunda-feira (14), no mês de agosto vítima e autora fecharam a primeira relação comercial. Nos meses que se passaram, todos os pagamentos eram feitos corretamente via cartão de crédito. Por isso, estabeleceu-se relação de confiança. 

Recentemente, a suspeita pediu para consignar as semijoias com a promessa de pagar as peças futuramente. Alegou que trabalhava em um banco e que revenderia os itens. Após cadastro prévio, 100 itens foram liberados para mulher mediante assinatura de promissória de R$ 16.956 e cheque no valor de R$ 5.846,10.

Nos dias que se seguiram, a mulher desapareceu e já não atendia ligações. O representante comercial foi até o endereço informado por ela, inclusive, no endereço, o homem foi informado de que várias pessoas já tinham ido ao local procurando pela autora. No banco que a criminosa disse trabalhar, a mesma informação: ninguém a conhecia. 

O caso foi registrado como estelionato na Depac (Delegacia de Pronto Atendimento Comunitário) do Centro e está sob investigação. Segundo informações já apuradas, a criminosa já teria aplicado golpe de R$ 300 mil em outras empresas.