VÍDEO: 4º assaltante de joalheria é preso e teria usado casa da mãe para esconder comparsas em MS

Outros três foram presos em flagrante após assalto no Centro da cidade
| 17/05/2022
- 06:58
VÍDEO: 4º assaltante de joalheria é preso e teria usado casa da mãe para esconder comparsas em MS
(Foto: Robertinho/ Maracaju Speed)

O quarto membro da quadrilha que participou do roubo a uma joalheria na cidade de Maracaju, a 160 quilômetros de Campo Grande, acabou preso depois dos três comparsas serem detidos em perseguição policial, nessa segunda-feira (16).

O membro da quadrilha de 39 anos era responsável pelo apoio logístico ao grupo. O criminoso usou a casa da mãe para que o restante do grupo pudesse pernoitar antes do roubo a joalheria. Ele havia recebido cerca de R$ 500 sendo que boa parte foi gasta na viagem que ele fez de Dourados a Maracaju. 

Um dos autores de 20 anos tem passagens por roubo majorado com de arma de fogo, lesão corporal, roubo majorado pelo concurso de pessoas, dano qualificado, furto qualificado, desacato, receptação e roubo impróprio. Já o outro criminoso de 32 anos tem passagens por roubo majorado com emprego de arma de fogo, tráfico de drogas, furto e receptação.

Já o autor de 24 anos possui registros por roubo majorado com emprego de arma de fogo, resistência, furto qualificado, furto tentado, tráfico de droga, posse ilegal de arma de fogo de uso restrito, furto, adulteração de sinal identificador de veículo, roubo, receptação, desacato, porte de arma, rixa, ameaça, roubo tentado, lesão corporal e violação de domicílio.

Roubo e perseguição

Vídeos e fotos da ação circularam nas redes sociais. Os três bandidos assaltaram o comércio, que fica na Rua Onze de Junho, por volta das 11 horas. Conforme o delegado titular de Maracaju, Guilherme Sarian, foram levados relógios, pulseiras, correntes, celulares e dinheiro.

Equipe de investigação da delegacia recebeu as informações sobre o veículo. Assim, duas equipes passaram a fazer diligências em veículos descaracterizados, na região central da cidade, onde está a maior parte do comércio.

Em determinado momento, uma das equipes viu os dois homens saindo em atitude suspeita da joalheria, com sacolas em mãos. Eles entraram no Cobalt branco e os agentes acionaram o delegado, Guilherme Sarian, que ordenou acompanhamento até chegada do reforço policial.

Na frente de um posto de combustível, foi feita abordagem com a viatura caracterizada da Polícia Civil, mas os suspeitos iniciaram em alta velocidade. O delegado Sarian e um escrivão desceram da viatura e atiraram contra os pneus do carro.

Os suspeitos pararam, foram abordados e presos em flagrante. Um dos homens portava uma pistola 9 mm, carregada com 6 munições. No carro ainda foram encontrados os objetos roubados, relógios, correntes, pulseiras, dinheiro em espécie e celulares que foram apreendidos.

Veja também

Vítima tinha registro de medida protetiva contra ex-marido

Últimas notícias