Confusão que teve casa metralhada começou com empurra-empurra e ameaça de morte a bebê de 5 meses

A briga aconteceu em um espaço de festas alugado no último domingo (3)
| 05/04/2022
- 11:54
Confusão que teve casa metralhada começou com empurra-empurra e ameaça de morte a bebê de 5 meses
(Reprodução)

A confusão do último domingo (3), em um espaço de festas, em Campo Grande, no Bairro Bela Laguna, que terminou com a casa de um dos envolvidos metralhada, teria começado com empurra-empurra e ameaça de morte a um bebê de 5 meses. A irmã do rapaz acusado de atirar contra a residência registrou novo boletim de ocorrência com outra versão do caso.

A irmã do rapaz acusado disse que, na realidade, quem teria começado a confusão foi a suposta vítima — o jovem de 21 anos, morador da metralhada. A mulher afirma que no dia o rapaz estaria ‘surtado’ brigando com todo mundo no local. Ainda segundo ela, a briga começou com um empurra-empurra, quando estavam querendo jogar os participantes da festa na piscina.

O rapaz que teve a casa metralhada não teria gostado de ver o cunhado ser empurrado. Ele teria ido tirar satisfação com o suposto autor quando começaram a discutir. A suposta vítima teria agredido várias pessoas na festa e, durante a briga, ameaçado matar a esposa e o bebê de 5 meses do rapaz apontado como autor dos disparos contra a residência. 

“Você  quer matar meu filho, mata eu, então”, teria respondido o suposto autor ao rapaz ainda no espaço de festas. A suposta vítima ainda teria enviado um áudio para a irmã do ‘amigo’ fazendo ameaças tanto a ela quanto a sua cunhada.

Ainda segundo a irmã do acusado pelos tiros, ela não acredita que o rapaz tenha cometido este crime, já que a suposta vítima teria arrumado confusão com todos que estavam no espaço de festas.

Após a confusão e o registro do boletim de ocorrência feito pela família do rapaz da casa metralhada, a polícia estaria em busca do suposto autor — que está desaparecido. Logo após toda a confusão, a casa do suposto autor também foi alvo de tiros — segundo a irmã, o autor dos disparos seria a suposta vítima. Um boletim de ocorrência foi registrado.

casa metralhada2 - Confusão que teve casa metralhada começou com empurra-empurra e ameaça de morte a bebê de 5 meses
(Henrique Arakaki, Midiamax)

Outra versão x casa metralhada

A , de 48 anos, do jovem de 21 anos, que teve a casa metralhada a tiros, na noite de domingo (3), no Bairro Aero Rancho, contou que a salvação para ninguém ficar ferido teria sido o carro, que estava na garagem.

Ela ainda disse que o filho e o autor eram como irmãos, e que no dia anterior, ele teria almoçado com a família dela. “Amigo da onça”, disse a mulher, que ainda falou que estava sentada junto do filho em frente a casa tomando refrigerante, quando o autor passou em uma motocicleta fazendo os disparos, um total de seis. Ainda segundo a mãe do jovem, se não fosse o carro que estava na frente, os tiros poderiam ter atingido a todos.

Ela contou que todos estavam no espaço alugado pela família, quando o autor teria dado um tapa no rosto do filho, que foi defender o cunhado. O homem voltou armado e fez disparos para o alto, a mulher então chegou a segurar seu braço dizendo: “você vai matar meu filho na minha frente?”. Após esse momento o autor foi embora.

tiroteioaero 1 - Confusão que teve casa metralhada começou com empurra-empurra e ameaça de morte a bebê de 5 meses
(Henrique Arakaki, Midiamax)

A briga em local de festas

O crime aconteceu por volta das 22h30, quando o rapaz estava em frente a sua casa tomando refrigerante. O autor passou em uma motocicleta e fez  pelo menos seis disparos, que não atingiram o jovem, mas seu carro que estava estacionado.

Após os disparos, o autor fugiu. Segundo o relato da vítima, antes do ocorrido, todos estavam em uma festa quando o autor teria jogado na piscina o cunhado do rapaz. O jovem teria avisado que o cunhado tinha problemas estomacais.

Como represália, o jovem teria dito que jogaria a esposa do autor na piscina e foi nesse momento que ele sacou um revólver e apontou para a cabeça da vítima dizendo: “Só não te mato aqui por causa da sua mãe”.

Veja também

Archimedes Ferrinho Lemes Soares é morador de Dourados e recebeu ajuda de terceiros e foi levado para hospital

Últimas notícias