Caso de trabalhador que caiu de escada no Fort Atacadista é registrado como morte a esclarecer

A informação é de que a empresa em que ele trabalha, não fez nenhum registro policial
| 18/03/2022
- 00:56
Google Street View
Google Street View

O caso de Fernando da Silva e Souza, de 56 anos, que morreu após de trabalho no Fort Atacadista, que pegou fogo em Campo Grande, foi registrado como a esclarecer. Fernando morreu na Santa Casa na tarde desta quinta-feira (17).

Funcionário de empresa terceirizada que fazia reparos no Fort Atacadista da Avenida Presidente Vargas, o acidente aconteceu na última segunda-feira (14), após o incêndio de sábado (12). A informação é de que a empresa em que ele trabalha, não fez nenhum registro policial. O boletim de ocorrência foi feito pela família, para liberação do corpo para o velório e sepultamento.

Fernando permaneceu internado no CTI (Centro de Terapia Intensiva) em estado grave, com traumatismo cranioencefálico. Foi aberto protocolo de morte cerebral e Fernando faleceu nesta tarde, três dias após o acidente.

O advogado da família, Vinicius Pizetta, comentou sobre o caso “Um trágico acidente. O trabalhador não usava EPI correto para o reparo, que deveria ser fornecido pela empresa, como cinto de segurança, capacete de proteção e calçado de segurança. Além disso, a empresa não registrou o boletim de ocorrência, que foi registrado posteriormente pela família".

Veja também

Procedimento faz de uma operação deflagrada em Fátima do Sul

Últimas notícias