Depois de provocar confusão em um bar, na Avenida Tamandaré, um subtenente do Exército de 58 anos, de Campo Grande, acabou preso durante a madrugada desta terça-feira (3). Ele chegou a apontar a arma para clientes do estabelecimento comercial.

A confusão aconteceu depois da meia-noite, quando o militar estava saindo do local em visível estado de embriaguez. Ao tentar manobrar seu carro, ele bateu em uma motocicleta. Após derrubar a moto, várias pessoas o cercaram, inclusive um policial, dizendo que não era para ele deixar o local. No entanto, ele não acatou a solicitação e saiu em direção à Avenida Tamandaré.

Já no cruzamento com a Avenida Júlio de Castilho foi abordado por um policial e o mesmo apontou uma arma, fazendo com que parasse o carro no meio da via, segundo o registro da ocorrência. O policial que o abordou disse que estava em seu horário de folga em um espetinho, quando testemunhas teriam falado sobre a confusão e que havia um homem apontando arma para outras pessoas. Dessa forma, o policial resolveu intervir.   

Ele perseguiu o subtenente fazendo-o parar e pedindo apoio da Polícia Militar. Com a chegada da polícia, foi realizada a abordagem e o veículo foi retirado da via. A equipe relatou que o militar jogou a funcional no rosto de um policial quando questionado se era do Exército. Ele ainda chegou a dizer que era capitão e que ‘amanhã todos seriam presos’. 

No local, foi acionado o BPtran em razão do visível estado de embriaguez do militar, que estava exaltado e também com uma lata de cerveja com ele. A arma do subtenente foi apreendida. Na delegacia, foi acionado o superior de dia da guarnição de Campo Grande, Capitão do Exército para acompanhar a ocorrência.  

O subtenente ainda acusou um policial de ter ‘sumido’ com R$ 7 mil que estavam embaixo do banco de seu carro.