Avião interceptado pela FAB passa por perícia e cocaína é avaliada em mais de R$ 30 milhões

Cocaína apreendida seria tipo ‘exportação’ para o mercado internacional
| 04/07/2022
- 10:48
Avião interceptado pela FAB passa por perícia e cocaína é avaliada em mais de R$ 30 milhões
(Divulgação)

O avião apreendido nesse domingo (3) após interceptação da FAB (Força Aérea Brasileira), na divisa de Mato Grosso do Sul com São Paulo, passa por perícia nesta segunda-feira (4), segundo informações da Polícia Federal do estado paulista. A aeronave estava carregada com 663 quilos de

Ainda segundo a PF, a cocaína encontrada na aeronave seria a forma mais pura da droga e estaria avaliada em mais de R$ 30 milhões. A cocaína seria encaminhada para o mercado internacional, droga tipo ‘exportação’. O piloto do avião ainda não foi localizado. 

A aeronave foi transportada com a droga pela rodovia Eliezer Montenegro Magalhães até o aeroporto de Jales com o apoio do e Policia Militar de São Paulo.

A cocaína deverá ser incinerada após autorização judicial. Não há informações a quem a aeronave pertencia. 

PF3 - Avião interceptado pela FAB passa por perícia e cocaína é avaliada em mais de R$ 30 milhões

A interceptação

A interceptação ocorreu no início da tarde, quando uma aeronave, de pequeno porte, entrou no espaço aéreo brasileiro sem autorização. Em seguida, duas aeronaves de defesa aérea A-29 Super Tucano foram enviadas para monitorar e interceptar o avião.

O piloto então recebeu ordens para mudar de rota e fazer o pouso obrigatório em aeródromo específico. Mais uma vez, não obedeceu e houve o “tiro de aviso” por parte dos policiais. Ainda sem retorno, a aeronave foi considera hostil e o próximo procedimento foi o “tiro de detenção”.

Protocolos de policiamento espaço aéreo

Na ocasião, a FAB diz que os pilotos de defesa aérea seguiram o “protocolo das medidas de policiamento do espaço aéreo brasileiro”, interrogando o piloto da aeronave, porém, não obtiveram resposta. Em seguida, o veículo foi classificado como suspeito, conforme previsto no Decreto 5.144, de 16 de julho de 2004.

Sem qualquer plano de voo, a aeronave teria entrado no espaço aéreo do Brasil pela fronteira do Mato Grosso do Sul. O piloto fez o pouso forçado no Estado de São Paulo, entre as cidades de Jales e Pontalinda.

Após este fato, a PF (Polícia Federal) assumiu as Medidas de Controle de Solo (MCS). Os agentes apuraram que os dois envolvidos fugiram antes da chegada dos policiais e apreenderam a carga ilícita.

Veja também

Houve briga de grupo que não estava na festa em frente ao local da comemoração

Últimas notícias