Polícia

Advogado de MS que ameaçou a ex por mensagens deve passar por processo ético

Ele pode ter a atividade suspensa e até cassada

Renata Portela Publicado em 14/01/2022, às 16h00

Inquéritos contra o advogado tramitam na DAM de Três Lagoas
Inquéritos contra o advogado tramitam na DAM de Três Lagoas - (Foto: Hoje Mais)

O advogado três-lagoense de 36 anos, preso em flagrante na quinta-feira (13) por ameaçar a ex-namorada enquanto ela registrava boletim de ocorrência contra ele, deve passar por um processo ético-disciplinar pela OAB (Ordem dos Advogados do Brasil). O acusado foi liberado após pagar fiança de 5 salários mínimos.

De acordo com a OAB, seccional de Mato Grosso do Sul, uma vez instaurado o processo, respeitando as garantias constitucionais de ampla defesa e contraditório, são analisadas as medidas aplicáveis ao caso. Dentre elas a suspensão prévia e, ao final, eventual cassação, seguindo o devido processo legal.

Coleciona passagens por violência doméstica

Contra o advogado há três inquéritos policiais em aberto, por violência doméstica. O Jornal Midiamax apurou que em outubro de 2021 ele foi acusado de lesão contra a cunhada. Na ocasião, ele foi flagrado com outra mulher pela cunhada e a namorada e, na discussão, empurrou a cunhada, que caiu no chão.

A jovem sofreu uma fratura no joelho e precisou passar por cirurgia. Ela o denunciou em novembro, alertando sobre as agressões que a irmã sofria, físicas e psicológicas, e pediu medida protetiva contra o acusado.

Já no dia 10 de janeiro, outra jovem de 20 anos procurou a DAM (Delegacia de Atendimento à Mulher) e contou que também era namorada do advogado. No relato, ela disse que há aproximadamente um ano tentava terminar o relacionamento, mas não conseguia já que ele ameaçava a matar, também matar a família e até o cachorro da vítima.

Ela acabou descobrindo que o advogado mantinha relacionamento com várias mulheres ao mesmo tempo. Com a outra vítima, também de 20 anos, ela chegou a conversar por redes sociais e as duas revelaram que eram agredidas pelo acusado. Já na quinta-feira (13), a outra jovem de 20 anos também procurou a delegacia.

Enquanto ela registrava o boletim de ocorrência contra o advogado pelas agressões, ele começou a mandar várias mensagens no WhatsApp, fazendo ameaças. Os investigadores foram até a casa do suspeito, onde o encontraram com o celular em mãos. O aparelho era do estagiário, que permitiu que os policiais verificassem as mensagens.

Assim, foi encontrada a conversa entre o advogado e a vítima, com todas as ameaças. O suspeito acabou detido em flagrante por coação e é investigado pelas lesões corporais e ameaças qualificadas por violência doméstica. Foi arbitrada fiança de 5 salários mínimos, que foi paga pelo advogado, liberado em seguida.

Em decisão, o juiz Vinícius Pedrosa Santos, da 2ª Vara Criminal de Três Lagoas determinou que, diante da gravidade dos fatos e também por tramitar outro inquérito contra o advogado, na 1ª Câmara Criminal, o MPMS (Ministério Público de Mato Grosso do Sul) deve se manifestar, para aferir e pleitear medidas que entender serem cabíveis ao caso.

Jornal Midiamax