Polícia

‘Você está diante de uma bomba’: vítima de golpe em site de acompanhante, rapaz é chantageado no whats

Um homem de 28 anos procurou a delegacia de Polícia Civil, em Campo Grande, na manhã desta sexta-feira (22), após ser vítima de chantagem ao acessar um site de acompanhantes. “Vc tá diante de uma bomba, se cortar o fio errado ela explode e o fio errado é me bloquear ou ignorar. Vamos resolver??”, disse […]

Dayene Paz Publicado em 22/01/2021, às 12h05 - Atualizado em 23/01/2021, às 07h27

Homem acessou link em site de acompanhantes | Imagem ilustrativa
Homem acessou link em site de acompanhantes | Imagem ilustrativa - Homem acessou link em site de acompanhantes | Imagem ilustrativa

Um homem de 28 anos procurou a delegacia de Polícia Civil, em Campo Grande, na manhã desta sexta-feira (22), após ser vítima de chantagem ao acessar um site de acompanhantes. “Vc tá diante de uma bomba, se cortar o fio errado ela explode e o fio errado é me bloquear ou ignorar. Vamos resolver??”, disse o autor da chantagem, que pediu R$ 2 mil, caso contrário divulgaria que o rapaz teria interesses em travestis. A suspeita é de que internos do sistema prisional sejam os autores do golpe, no entanto, o caso será apurado.

De acordo com as informações da vítima, no último dia 15 de janeiro o rapaz acessou site de acompanhantes. Na tela, apareceu um link encaminhando para o WhatsApp e a vítima clicou, sendo então encaminhada para iniciar uma conversa no app. No entanto, relata que ao ver a foto de uma mulher trans, imediatamente saiu do WhatsApp e apagou a conversa.

Já na manhã desta sexta-feira, recebeu mensagem de um número com o DDD 17. “Demorou mas eu te achei em meu amigo, muitos dias de pesquisa aqui nas minhas consultas, mas eu sou brasileiro e não desisto nunca (sic)”, teria dito. Em seguida, passou a dizer que ele caiu em uma armadilha. “Você caiu em uma armadilha. Fiz você vir aqui no meu anúncio de travesti mostrar seu interesse por traveco e pesquisei sua vida toda já, consegui até as redes sociais dos seu amigos e parentes”, disse o chantagista.

Em seguida, o autor continua fazendo ameaças, dizendo que tinha inclusive número de telefone de algumas pessoas próximas, mas que não queria prejudicar a vítima, apenas queria o valor mínimo do “corre”, que era de R$ 2 mil. “Só tô fazendo meu corre, cobro pra ficar em silencio apagar tudo aqui e sumir da sua vida. Caso contrário se me bloquear vou mandar todo conteúdo pro máximo de pessoas ligadas a vc (sic)”, ameaçou.

A vítima afirma que se sentiu constrangida e desta forma resolveu procurar a polícia, a fim de que o autor seja identificado. O caso foi registrado como constrangimento ilegal, na Depac (Delegacia de Pronto Atendimento Comunitário) do Cepol.

Jornal Midiamax