Polícia

VÍDEO: Vítima da Covid-19, sargento se manteve na ativa mesmo diante de um câncer e lutou até o último dia

Ricardo Fernando Nascimento Fonseca, lotado no Choque, faleceu nesta quinta-feira

Renan Nucci Publicado em 22/04/2021, às 17h53

Ricardo Fernando Nascimento Fonseca estava lotado no Canil do Choque
Ricardo Fernando Nascimento Fonseca estava lotado no Canil do Choque - Divulgação

A Polícia Militar de Mato Grosso do Sul anunciou nesta quinta-feira (22) o falecimento do segundo-sargento Ricardo Fernando Nascimento Fonseca.  O policial tinha 37 anos, lutava contra um câncer e, em meio ao tratamento, foi acometido pela Covid-19. Amigos e colegas de farda prestaram homenagens, lembrando dos exemplos de coragem e dedicação deixados por Fernando, que nunca se abateu.

Ele havia ingressado na PM em 2008 e estava lotado no Batalhão de Choque. Por ser especializado em policiamento com cães, atuava no Canil da unidade. Em uma entrevista ao canal de Felipe Torres no Youtube, o sargento mostrou sua força ao explicar porque, mesmo podendo estar afastado das atividades, mantinha-se no trabalho. Na ocasião, ele tratava um câncer de mama, que também atinge homens.

“A gente tem que ter forças para lutar. Ficar em casa não resolveria, não deixaria minha saúde melhor ou pior. Preciso dar continuidade na minha vida. A gente vai ter um dia para morrer, e em todos os outros, vamos estar vivos. Estou vivendo, trabalhando e fazendo o que eu gosto, buscando forças com meus companheiros”, disse o militar naquela oportunidade. 

Amigos do Batalhão de Choque deixaram uma mensagem de apoio. “Você nunca será esquecido, pois sua força de vontade e principalmente, a lição de vida que nos deixou serão imortalizados na história da PMMS. Aos familiares e amigos, nossos mais sinceros sentimentos. Todos os Oficiais e Praças da PMMS rogam a Deus que os confortem neste momento de dor”.

O comando da PM também se manifestou em luto pelo falecimento. “Muito querido por todos, sargento Fernando nunca se abateu pela doença, carregando um sorriso no rosto e um amor incondicional pelos dois filhos. O Comando da Polícia Militar externa aos familiares e amigos os mais sinceros sentimentos”.

Ainda conforme apurado, o militar estava com a saúde comprometida em razão do câncer, quando foi contaminado pela Covid-19. De acordo com a ACS PM BM MS (Associação e Centro Social dos Policiais Militares e Bombeiros Militares de Mato Grosso do Sul), Fernando fazia tratamento há quatro anos.

Com metástase, que é quando o câncer avança para outras partes do corpo, ele já carregava lesões ósseas na bacia e costelas. Amigos de farda chegaram a realizar diversos eventos para levantar fundos para o tratamento do sargento. Ele é mais um policial acometido pela pandemia, o terceiro da ativa que faleceu somente nesta semana.

Jornal Midiamax