Polícia

VÍDEO: Câmeras flagram comércio de drogas no Centro de Campo Grande

Câmeras de videomonitoramento do programa Cidadão Integrado da CDL (Câmara de Dirigentes Lojistas) de Campo Grande, flagraram a ação de traficantes no Centro, em plena luz do dia. Sem muito se preocupar, cooptam ‘mulas’ para o tráfico e há também o uso de drogas, sem qualquer problema, nas calçadas da Capital. A situação gerou alerta […]

Dayene Paz Publicado em 05/01/2021, às 11h48 - Atualizado às 17h01

Comércio e uso livre de drogas no Centro da Capital. Imagem: Reprodução / CDL-CG
Comércio e uso livre de drogas no Centro da Capital. Imagem: Reprodução / CDL-CG - Comércio e uso livre de drogas no Centro da Capital. Imagem: Reprodução / CDL-CG

Câmeras de videomonitoramento do programa Cidadão Integrado da CDL (Câmara de Dirigentes Lojistas) de Campo Grande, flagraram a ação de traficantes no Centro, em plena luz do dia. Sem muito se preocupar, cooptam ‘mulas’ para o tráfico e há também o uso de drogas, sem qualquer problema, nas calçadas da Capital. A situação gerou alerta da própria CDL, diante dos riscos, tanto para a população, quanto para os comerciantes da região.

As imagens recentes, dos primeiros dias deste ano, na região do bairro Amambaí, região central de Campo Grande, mostram usuários sendo usados como mulas – pessoas que levam as drogas aos pontos – e, em muitos casos reforçando o consumo, com pagamentos pelos “serviços” prestados aos traficantes, por meio de pedras.

Além disso, as imagens mostram um veículo VW Gol, entregando drogas na região. O carro para em algumas ruas, mas o motorista não desce, apenas repassa  entorpecente. A ação foi flagrada em várias ruas da região central.

De acordo com o diretor da CDL-CG, Denison Zubieta, um dos pontos mais complicados é o quadrilátero envolvendo as ruas Dom Aquino entre a Joaquim Nabuco x Alan Kaderc e Rua Dom Aquino entre Alan Kardec x Saldanha Marinho. “Cada vez mais tem ocorrido uma migração desses usuários para a região mais acima, próximo a Cabeça de Boi e Marechal Rondon”.

Denison ressaltou que conforme ocorre a atuação policial a migração acontece. O diretor enfocou que as imagens dos usuários e traficantes são registradas diariamente, na região. Além disso, há o registro na Rua Barão do Rio Branco entre a Joaquim Nabuco x Alan Kaderc e Rua Barão do Rio Branco entre Alan Kardec x Saldanha Marinho.

Para o presidente da CDL, Adelaido Vila, além do medo que a população tem de frequentar a região, o livre comércio e uso de drogas traz transtornos também para os comerciantes, que se tornam reféns do caos que se forma no entorno de seus empreendimentos com intimidações, assaltos, furtos e roubos.

Adelaido afirma que acredita que a polícia vem fazendo seu papel, no entanto, pede ações mais rígidas. “Sabemos que a polícia tem cumprido seu papel, mas algo mais rígido precisa ser feito para evitar a migração dos usuários e dos traficantes, que ficam aliciando esses doentes que não conseguem se libertar do vício”.

Sobre o veículo Gol citado acima, a reportagem do Jornal Midiamax entrou em contato com a assessoria da GCM (Guarda Civil Metropolitana), que informou não ter recebido denúncia sobre tal veículo. No entanto, afirmou que após a informação sobre o caso, irá intensificar as diligências na região, a fim de identificar o autor. Já a PMMS (Polícia Militar do Estado de Mato Grosso do Sul), não repassou posicionamento até a publicação deste material.

Jornal Midiamax