Polícia

Um ano depois, sequestro de ex-vice-presidente do Paraguai segue sem solução

Filhas do político paraguaio fizeram duras críticas ao presidente Mario Abdo que não consegue dar respostas sobre o caso

Marcos Morandi Publicado em 09/09/2021, às 11h08

Político foi sequestrado em sua propriedade, nas proximidades de Bela Vista, no MS
Político foi sequestrado em sua propriedade, nas proximidades de Bela Vista, no MS - Midiamax/Arquivo

As filhas do ex-vice-presidente do Paraguai, Óscar Denis, sequestrado pelo EPP (Exército do Povo Paraguaio), na fronteira com Bela Vista no Mato Grosso do Sul, em 9 de setembro de 2020, voltaram a criticar o presidente Mario Abdo Benítez, durante entrevista coletiva na manhã desta quinta-feira (9).

Elas compartilharam uma carta aberta dirigida ao Presidente e Comandante em Chefe das Forças Armadas, Mario Abdo Benítez, ao grupo criminoso EPP e as pessoas que acompanharam a família durante este período.

No desabafo, as filhas de Óscar Denis afirmaram que se sentem "decepcionadas" com a "indolência e incompetência" de um governo e de uma força de segurança que, afirmaram, estão submetidos por um grupo de criminosos de não mais de 20 integrantes.

“O que mais podemos esperar do Paraguai? Que segurança nós temos como paraguaios para sair às ruas livremente? Nenhuma. O seu governo está sujeito à vontade de 20 bandidos criminosos, recrutadores de crianças indefesas e raptores e assassinos impiedosos”, sublinharam.

Em referência direta ao presidente Abdo Benítez, também conhecido como Marito, elas reafirmaram que ele está completamente ausente do caso. “Exigimos que nosso comandante-chefe, que é o chefe da segurança do Paraguai, nos dê uma resposta. Se você não pode nos dizer onde está o papai, deixe que ele nos diga onde fica o EPP”, desabafaram as filhas de Óscar.

Jornal Midiamax