Polícia

Servidor afastado após divulgar vídeo de colegas em site pornô será investigado em processo administrativo

Decisão foi publicada no Diário Oficial da Prefeitura de Paraíso das Águas nesta sexta-feira

Danielle Errobidarte Publicado em 23/07/2021, às 18h33

None
(Foto: Divulgação)

Foi publicado no Diário Oficial de Paraíso das Águas, cidade distante 277 km da Capital, desta sexta-feira (23) a instauração do processo administrativo e disciplinar contra o servidor da Sedemat (Secretaria de Desenvolvimento Econômico, Meio Ambiente e Turismo) preso durante operação da Polícia Civil, acusado de filmar colegas de trabalho no banheiro. Os vídeos foram apreendidos durante mandado de busca e apreensão na casa dele e no computador que ele usava no trabalho.

Conforme já adiantado pelo prefeito Anísio Sobrinho de Andrade ao Jornal Midiamax, o prazo do afastamento é de 60 dias. O servidor será julgado por uma Comissão Permanente de Sindicância e Processo Administrativo Disciplinar, que decidirá se ele deve ser exonerado ou não. Confira o documento clicando aqui.

Conforme o delegado Caique Ducatti, o funcionário passou no concurso de 2014 e disse em depoimento que estava arrependido. O autor ainda escolhia “as vítimas mais bonitas”. “Ele confessou os crimes e disse que não teria motivo, que foi um momento de bobeira”. O servidor ainda alegou que fazia as edições e compartilhamento dos vídeos sozinho.

O funcionário usava uma bucha de lavar louçasno banheiro para camuflar um celular e fazer as gravações. Com um aplicativo, comandava a distância, de seu notebook, as imagens das colegas seminuas no banheiro. A bucha era colocada e um local escondido, mas que lhe dava ampla visão das vítimas no banheiro. As imagens eram registradas no notebook e depois compartilhadas em um site pornográfico, onde seu login tinha como codinome seu apelido.

A descoberta

O crime foi descoberto após uma das vítimas, moradora da cidade de Itumbiara, Goiás, informar que, durante os dias que ministrou curso na secretaria, em 2019, teve sua intimidade exposta na internet.Ela estava seminua no banheiro da secretaria e descobriu que o vídeo circulava em um site de pornografia, sem seu consentimento.

O banheiro era o único disponível na Sedemat, o que levou a polícia a investigar o perfil utilizado pelo site de pornografia. As investigações apontaram que havia imagens de mais quatro vítimas, filmadas no mesmo banheiro, em ângulos diferentes.

Os policiais suspeitaram que a autoria do crime poderia ser de alguém que fizesse parte da Secretaria. Dessa forma, foi feita representação por mandado de busca e apreensão na casa de suspeitos. Os vídeos e fotos foram encontrados nos computadores usados por um deles em sua residência e na própria Secretaria – que também foi alvo de cumprimento de buscas.

Na casa do servidor também foi encontrada uma pistola da marca Taurus, calibre .380, municiada e com registro vencido, em nome de outra pessoa.

Jornal Midiamax