Polícia

Servente diz que deixava cachorros acorrentados para não perseguirem as galinhas

O servente de 30 anos preso nesta terça-feira (26), na Vila Bordon em Campo Grande, após matéria do Jornal Midiamax que denunciava maus-tratos a sete cachorros, disse que os animais ficavam o dia todo acorrentados para não perseguirem as galinhas no quintal da residência. O homem passa por audiência de custódia nesta quarta-feira (27) e […]

Thatiana Melo Publicado em 27/01/2021, às 08h34 - Atualizado às 15h21

(Leonardo França, Midiamax)
(Leonardo França, Midiamax) - (Leonardo França, Midiamax)

O servente de 30 anos preso nesta terça-feira (26), na Vila Bordon em Campo Grande, após matéria do Jornal Midiamax que denunciava maus-tratos a sete cachorros, disse que os animais ficavam o dia todo acorrentados para não perseguirem as galinhas no quintal da residência.

O homem passa por audiência de custódia nesta quarta-feira (27) e em depoimento contou que resgatou os cachorros da rua há cerca de cinco meses, e que os animais ficavam acorrentados para não perseguirem as aves. Sobre a alimentação e água, o servente disse que alimentava os cachorros duas vezes ao dia com arroz e feijão.

Ele argumentou que já tentou dar ração para os animais, mas eles preferiam comida. O homem também afirmou que a água era trocada sempre. No fim de seu depoimento, o autor disse amar os cachorros e autorizou a doação a um lar definitivo para os animais.

A prisão aconteceu na tarde de terça (26), depois da denúncia de maus-tratos. Os animais estavam presos a uma caixa, os cães abaixo do peso e com feridas. As correntes que prendiam os animais estavam ligadas a móveis velhos e enferrujados, com poucos centímetros, o que impedia o livre movimento dos cachorros.Os animais não possuíam alimentação adequada, eram mantidos com restos de comida ao invés de ração.

Jornal Midiamax