Polícia

Representantes da OAB negociam libertação de policial penal em presídio de MS

Um policial penal ainda é refém em um motim no Estabelecimento Penal Masculino Ricardo Brandão, em Ponta Porã, a 346 quilômetros de Campo Grande, nesta sexta-feira (01). Após horas de conversa com os presos que estão com o agente, representantes da OAB (Ordem dos Advogados do Brasil), Carlos Bordão, Nina Negri, conselheira Estadual dos Direitos […]

Diego Alves Publicado em 01/01/2021, às 22h27

Unidade Penal Ricardo Brandão, em Ponta Porã. Foto: Ponta Porã Informa
Unidade Penal Ricardo Brandão, em Ponta Porã. Foto: Ponta Porã Informa - Unidade Penal Ricardo Brandão, em Ponta Porã. Foto: Ponta Porã Informa

Um policial penal ainda é refém em um motim no Estabelecimento Penal Masculino Ricardo Brandão, em Ponta Porã, a 346 quilômetros de Campo Grande, nesta sexta-feira (01).

Após horas de conversa com os presos que estão com o agente, representantes da OAB (Ordem dos Advogados do Brasil), Carlos Bordão, Nina Negri, conselheira Estadual dos Direitos Humano e Jucimara de Melo, presidente da Comissão dos Advogados Criminalista da 5ª subseção, disseram que o motim iniciado nesta sexta-feira (2), pode estar próximo de acabar, publicou o site Ponta Porã News.

As reinvindicações dos detentos, segundo os representantes, não são específicas. Os presos pedem providências quanto aos contaminados pela Covid-19 que seriam aproximadamente 300 internos. Os representantes da OAB disseram que podem retornar ao presídio a qualquer momento, e que o acordo feito para a liberação do agente penitenciário que está refém de três presos, não pode ser divulgada.

Os presos estariam coordenando uma ação de ‘tomada’ da Penitenciária Ricardo Brandão, além de exigirem a imprensa nacional para que o motim fosse transmitido e eles acompanhassem pela televisão.

Jornal Midiamax