Polícia

Preso por sequestrar e ameaçar decapitar homem era monitorado por tornozeleira

Ele cumpre pena por tráfico de drogas

Renata Portela Publicado em 19/05/2021, às 14h55

Imagem ilustrativa
Imagem ilustrativa

O rapaz de 23 anos preso em flagrante na tarde de terça-feira (18), acusado de sequestrar e ameaçar um homem de 40 anos de morte em Campo Grande, era monitorado por tornozeleira eletrônica. Ele cumpre pena por tráfico de drogas e foi condenado em 2017.

Conforme relato do acusado, ele foi condenado a 5 anos e há aproximadamente 6 meses faz uso da tornozeleira eletrônica. Ele alegou que tem um ferro-velho e que trabalha comprando recicláveis, sendo que estava juntando cobre. Na madrugada de terça-feira, ele teria escutado barulhos em casa.

Assim, descobriu que alguém tinha furtado os 20 quilos de cobre que ele tinha juntado, pelos quais receberia em torno de R$ 800 após vender. Apesar do furto, ele não registrou boletim de ocorrência e descobriu pelo bairro onde mora quem teria sido o autor. Isso, porque um homem comprou o cobre furtado por R$ 500 e também se negou a devolver.

Já na tarde de terça-feira ele estava com os dois adolescentes de 17 anos quando viu o suspeito do furto. Ele alega que apenas colocou o homem no carro, quando os policiais miliares do Batalhão de Choque flagraram os fatos. Além disso, ele também negou ter ameaçado a vítima de morte.

No carro foram apreendidos um facão e uma faca de serra, que o suspeito alegou serem utilizados para cortar fios de cobre e o facão usado no serviço de poda de árvores. Ele responder por sequestro, ameaça, lesão corporal e corrupção de menor.

Segundo o homem de 40 anos, ele foi agredido com golpes de facão e depois sequestrado, sendo ameaçado de morte. Dentro do carro, os autores teriam dito que iriam “colocar a vítima no banquinho” e arrancariam a cabeça do homem.

Jornal Midiamax