Polícia

Preso por matar mulher de 21 anos diz que cometeu crime por suposta traição

Homem de 27 anos preso pela Polícia Militar logo após matar a esposa Judete Aragão de Oliveira de 21 anos diz que cometeu o crime devido a uma suposta traição. O revólver, munições e cocaína foram apreendidos com o autor, logo após o crime na manhã desta quarta-feira (03). De acodo com a polícia, por […]

Diego Alves Publicado em 03/02/2021, às 23h36

Autor preso logo após crime (Foto: Alfredo Neto/JP News)
Autor preso logo após crime (Foto: Alfredo Neto/JP News) - Autor preso logo após crime (Foto: Alfredo Neto/JP News)

Homem de 27 anos preso pela Polícia Militar logo após matar a esposa Judete Aragão de Oliveira de 21 anos diz que cometeu o crime devido a uma suposta traição. O revólver, munições e cocaína foram apreendidos com o autor, logo após o crime na manhã desta quarta-feira (03).

De acodo com a polícia, por volta das 09h30 o Centro de Operações da Polícia Militar recebeu a informação de que uma mulher de 21 anos havia sido atingida por disparos de arma de fogo realizados pelo próprio companheiro de 27 anos. Fato ocorrido na residência do casal situado em uma ocupação próximo ao bairro Guanabara.

No local, o Samu prestou socorro à vítima, porém deu entrada na UPA (Unidade de Pronto Atendimento) em parada cardíaca e não resistiu. A mulher apresentava com 04 perfurações provocadas por disparos de arma de fogo sendo 03 delas na região das costas e outra na região anterior do ombro.

Policiais militares então realizaram diligências e capturaram o acusado ainda nas proximidades, vindo a confessar o crime relatando uma suposta traição da mulher. Relatou ainda que logo após os disparos jogou a arma de fogo na residência vizinha (Rua dos Colibris). Em busca no local indicado foi localizado o Revólver calibre .38 com 05 munições deflagradas e 01 munição intacta. Na residência do casal, os policiais localizaram 01 porção de cocaína, tendo o autor alegado ser usuário de drogas.

O acusado recebeu voz de prisão e foi apresentado na DAM (Delegacia de Atendimento a Mulher) juntamente com a arma do crime e droga apreendida. O assassino confesso responderá pelo crime de Feminicídio, cuja pena poderá chegar a 30 anos de reclusão.

Jornal Midiamax