Polícia

Preso por homicídios causou acidente que matou comparsa afogado em rio de MS

Uma terceira pessoa que estava no veículo foi assassinada

Renata Portela Publicado em 10/06/2021, às 18h02

Carro foi encontrado três dias após o acidente
Carro foi encontrado três dias após o acidente - (Divulgação, PCMS)

Investigação da Polícia Civil aponta que João Carlos Colman de Freitas, de 38 anos, era quem dirigia o carro encontrado parcialmente submerso no rio São João, em Rochedo, a 81 quilômetros de Campo Grande. Dentro do veículo foi encontrado morto o comparsa dele, José Augusto Castro da Silva, de 44 anos.

João Carlos acabou preso no município e confessou que, junto com José, participou do homicídio de Mário de Lima, de 33 anos, que estava desaparecido. Os dois autores do crime teriam esfaqueado Mário na madrugada do dia 30 de maio e desovado o corpo da vítima no rio Verde, a aproximadamente 70 quilômetros de Paraíso das Águas.

De acordo com o BNC Notícias, Mário teria conhecido a dupla em um bar, no distrito de Bela Alvorada, na noite de sábado (29). Os três beberam e saíram no Gol branco em direção a uma boate, onde continuaram bebendo. Depois, eles foram para Camapuã, onde seguiram ingerindo bebidas alcoólicas.

Após a bebedeira, os três voltavam para o distrito pela BR-060, quando ocorreu uma discussão entre Mário e José Augusto, que estavam no banco traseiro. José deu uma facada em Mário, que morreu na hora. O corpo foi jogado pela dupla de cima da ponte, no rio Verde. Logo depois João e José fugiram em direção a Rochedo.

Dias depois, na sexta-feira (4), João e José estavam juntos novamente no Gol. João dirigia embriagado, quando sofreu o acidente no rio São João. Ele perdeu o controle do veículo e caiu dentro do rio, fugindo em seguida. João não prestou socorro a José, que estava no banco do passageiro.

José acabou morrendo afogado, preso dentro do carro. O Gol foi localizado na segunda-feira (7), e o corpo de José Augusto já estava em decomposição. Com as investigações do desaparecimento de Mário Lima, João Carlos foi preso e encaminhado para a Delegacia de Paraíso das Águas, onde confessou os fatos.

Na quarta-feira (9), Corpo de Bombeiros iniciou as buscas pelo corpo de Mário Lima, que até o momento não foi encontrado. Na sexta-feira (11), devem continuar as buscas com equipe de mergulhadores de Campo Grande.

Jornal Midiamax