Polícia

Preso em operação contra estupradores atraiu menina de 12 anos pelo Facebook em Campo Grande

Homem buscou menina na porta da escola e a levou para sua casa

Thatiana Melo Publicado em 19/05/2021, às 10h57

None
(Henrique Arakaki, Midiamax)

O operador de linha de produção que foi preso durante a deflagração da Força-tarefa realizada nesta terça-feira (18), em Campo Grande, que acabou na prisão de 30 criminosos, havia atraído uma menina de 12 anos pelo Facebook cometendo o crime em 2012.

Consta do inquérito que o denunciado conheceu a menina pelo Facebook, quando começaram a trocar mensagens sendo que a vítima contou para o autor que tinha 12 aos na época. Ele disse para a garota que tinha 21 anos, e a induziu a faltar a escola para s encontrar com ele.

A menina concordou em ‘matar’ aula e no dia marcado, o acusado foi de motocicleta até a escola da garota em setembro de 2012 a buscando e a levando para sua casa, onde a estuprou. A mãe da menina foi avisada sobre a saída da menina.

A mulher, então, foi até a escola onde esperou pela chegada da filha. A garota era virgem na época. A menina confessou o que havia acontecido para a mãe. O comerciante foi condenado há 8 anos de reclusão em regime inicial semiaberto, com direito de recorrer em liberdade.

Prisão em operação

Foram cumpridos 27 mandados de busca e apreensão e um preso em flagrante por posse de munição. Os alvos estavam nos bairros Canguru, Centenário, Aero Rancho, São Conrado, Santa Emília, Noroeste, Tarumã, Inápolis e Zé Pereira. Um assessor parlamentar também acabou preso, mas o nome não foi revelado.

Operação

A operação “Araceli” é uma força-tarefa entre o MPMS, a Polícia Civil e a Polícia Militar. O objetivo é dar cumprimento a 27 mandados de prisão e de busca e apreensão, expedidos pela 7ª Vara Criminal de Campo Grande, em desfavor de condenados por crimes praticados contra crianças e adolescentes, a maioria por abuso e exploração sexual.

Dados

De acordo com o promotor, de cerca de 1.677 inquéritos, 78% são de crimes contra crianças e adolescentes. “Número assustador”, disse Marcos Alex, que revelou ainda 93% desses crimes são cometidos por vínculos familiares.  As vítrimas preferenciais são as meninas, cerca de 96% contra 4% de meninos vítimas de estupros. 13% das vítimas possuem idades entre 1 e 5 anos, e 74% entre 6 e 13 anos. Participaram da operação 150 Policiais Militares e 128 Policiais Civis. 

Jornal Midiamax