Polícia

Presa por guardar 2,9 toneladas de maconha em casa é liberada com tornozeleira eletrônica

Ela assumiu o crime e disse que o namorado não tinha envolvimento

Renata Portela Publicado em 03/12/2021, às 13h42

Droga estava guardada na residência da suspeita
Droga estava guardada na residência da suspeita - (Divulgação)

Presa na noite de quarta-feira (1º) na Vila Nova Campo Grande, mulher de 21 anos foi liberada provisoriamente em audiência de custódia nesta sexta-feira (3). Ela foi detida armazenando 2,9 toneladas de maconha em casa e o namorado, de 26 anos, também chegou a ser detido, mas a princípio não tinha envolvimento com o crime.

Em decisão, o juiz Fernando Chemin Cury concedeu liberdade provisória para ao jovem, com recolhimento domiciliar noturno e nos dias de folga e monitoração eletrônica, por 180 dias. Foi expedido alvará de soltura e ela responderá em liberdade pelo tráfico de drogas.

Prisão em flagrante

Conforme informado ao Jornal Midiamax por vizinho da jovem, uma funcionária da Prefeitura teria perguntado pela mulher na manhã desta quarta-feira, após suposta denúncia de que os filhos dela estariam sozinhos na casa. Ela teria conseguido enxergar o depósito com quase 3 toneladas de maconha nos fundos da residência e tirado fotos.

Contudo, não havia ninguém na casa. Horas depois, a proprietária teria chegado e pedido ajuda em uma borracharia da esquina para consertar o pneu furado de um carro. Ela ainda teria dito que as crianças ficavam com a avó e negado o abandono.

O carro Fiat Stilo ainda estava em frente ao imóvel na manhã desta quinta-feira (2). A mulher teria pego um Uber em seguida e ido para a casa de sua mãe, onde foi localizada e presa por policiais do Batalhão de Choque. A residência onde a droga estava seria “emprestada” para a autora, por familiares de seu antigo esposo.

O proprietário da casa relatou ao Jornal Midiamax estar abalado com a situação e afirmou não ter conhecimento de que ali funcionava um depósito de maconha. Uma corrente foi colocada no portão após os policiais revirarem a casa.

Populares também afirmaram que já teriam visto ele solicitando fazer reformas no imóvel, mas a mulher teria negado. Eles também já haviam percebido movimentações de entrada e saída de pessoas, constantemente, na casa onde o entorpecente era escondido.

Quase 3 toneladas de maconha

De acordo com a polícia, após receber informações de que na Rua Cinquenta, no bairro, seria um depósito de droga, a polícia visualizou os dois autores saindo do endereço em um veículo Ford Ka branco.

Segundo a polícia, no momento não foi possível realizar a abordagem, porém, foi verificado que um dos autores, de 26 anos, desceu do veículo na Vila Eliane, momento em que foi abordado.

Ao ser questionado sobre o local de onde havia acabado de sair e se a residência tratava-se de um depósito de drogas, ele disse que era a casa de sua namorada, de 21 anos, e que não tinha relação com a droga. Ele ainda afirmou que o entorpecente era dela. Perguntado sobre a jovem, ele respondeu que ela estava no Bairro Lar do Trabalhador, pois após o deixar, foi para casa de sua mãe.

A polícia foi até a casa da mãe jovem, e, durante entrevista, ela relatou que receberia a quantia de 5 mil reais para guardar a maconha em sua residência.

Jornal Midiamax