Polícia

Polícia investiga se motorista que matou no trânsito teve carro incendiado por represália

Não foi arbitrada fiança para Flaviano que negou que estivesse fazendo racha quando atropelou o motoentregador, Samuel

Thatiana Melo Publicado em 21/06/2021, às 10h20

None
(Foto: Rio Brilhante em Tempo Real)

A Polícia Civil de Rio Brilhante a 158 quilômetros de Campo Grande, ainda irá verificar as câmeras de segurança da via onde aconteceu o acidente que matou o motoentregador, Samuel Pompílio Bernardino de 22 anos, na noite de sábado (1). 

Segundo o delegado Alexandre Neves, algumas testemunhas ouvidas informalmente confirmaram que o carro em que estava Flaviano Macena de Oliveira, um Corolla, estava fazendo racha com outro carro, um HB20. Mas, quando preso Flaviano negou a competição dizendo que na realidade o acidente aconteceu devido a uma ultrapassagem. 

Alexandre disse ao Jornal Midiamax que acredita que o carro de Flaviano tenha sido incendiado em represália ao acidente que acabou na morte de Samuel, mas que também será investigado. Ainda não há suspeitos para o incêndio no Corolla. Em depoimento depois de sua prisão, Flaviano contou que estava vindo de Maracaju com destino a Rio Brilhante, por volta das 19 horas de sábado (19) sendo acompanhado por um veículo HB20.

O HB20 fez uma ultrapassagem na rua Prefeito Theofanes de uma motocicleta, e quando Flaviano foi fazer também a ultrapassagem acabou batendo de frente com a motocicleta de Samuel. Após bater no motociclista, o motorista perdeu o controle da direção e atingiu um poste e na sequência uma árvore. O HB20 não foi localizado pela polícia. Já a durante a madrugada deste domingo (20), o Corolla que era conduzido por Flaviano acabou incendiado. 

Jornal Midiamax