Polícia

Polícia pede imagens de câmeras e escala de servidores para apurar estupro no HRMS

A Deam (Delegacia Especializada de Atendimento à Mulher) assumiu as investigações de estupro de vulnerável cometido contra uma paciente de 36 anos no HRMS (Hospital Regional de Mato Grosso do Sul). O caso veio à tona na semana passada, após denúncia feita pela mãe da vítima. Conforme nota divulgada à imprensa nesta segunda-feira (08), pela […]

Renan Nucci Publicado em 08/02/2021, às 14h53 - Atualizado em 09/02/2021, às 08h15

Hospital Regional de Mato Grosso do Sul Rosa Pedrossian, em Campo Grande | Foto: Edemir Rodrigues | Subcom
Hospital Regional de Mato Grosso do Sul Rosa Pedrossian, em Campo Grande | Foto: Edemir Rodrigues | Subcom - Hospital Regional de Mato Grosso do Sul Rosa Pedrossian, em Campo Grande | Foto: Edemir Rodrigues | Subcom

A Deam (Delegacia Especializada de Atendimento à Mulher) assumiu as investigações de estupro de vulnerável cometido contra uma paciente de 36 anos no HRMS (Hospital Regional de Mato Grosso do Sul). O caso veio à tona na semana passada, após denúncia feita pela mãe da vítima.

Conforme nota divulgada à imprensa nesta segunda-feira (08), pela Polícia Civil, o inquérito está sob os cuidados da delegada Maíra Machado. Foram solicitadas as imagens de câmeras de segurança da unidade de saúde, bem como a escala de plantão dos servidores que estavam de serviço na data dos fatos.

A delegada requisitou ainda oitiva com o corpo de enfermagem que estava no plantão. Os funcionários devem ser ouvidos nesta semana. Também deve ser realizado o depoimento da paciente, que poderá comparecer logo que estiver em condições. 

“Até o momento a autoria não foi identificada, no entanto, a partir do recebimento da escala de plantão dos servidores, será possível a qualificação do suspeito. Após o término das diligências, a Deam informará as conclusões da investigação, com a apuração da autoria e materialidade”, disse a polícia em nota.

Conforme já noticiado, a mãe da vítima, uma advogada, procurou a delegacia para registrar a ocorrência. A paciente foi transferida de andar após os fatos e o suspeito seria um técnico de enfermagem que, inclusive, já teria sido afastado das funções. Não foram reveladas outras informações.

Jornal Midiamax