Polícia

Polícia investiga execução de empresário paraguaio com apreensão de quase 3 toneladas de cocaína

Mauricio Daniel Schuartzman Parnes, de 52 anos, foi assassinato no último domingo (12) durante ação criminosa profissional e armamento de guerra

Marcos Morandi Publicado em 14/09/2021, às 10h11

Agentes da Secretaria Nacional Antidrogas, durante pesagem de cocaína encontrada em carga de carvão
Agentes da Secretaria Nacional Antidrogas, durante pesagem de cocaína encontrada em carga de carvão - Senad

O assassinato do empresário paraguaio Mauricio Daniel Schuartzman Parnes, de 52 anos, no último domingo (12), pode estar ligado à apreensão de 2.906 quilos de cocaína no porto de Villeta, em Assunção, ocorrida em outubro do ano passado. Segundo investigações, a execução foi coisa de criminosos profissionais.

O delegado Karim Correa, chefe da Investigação de Homicídios da Polícia Nacional, afirmou, na segunda-feira (13), que o assassinato do empresário "tem uma marca", além de "algo muito pesado". No entanto, ele evitou referir-se ao motivo do assassinato. 

Entretanto, a hipótese em torno da ligação com a cocaína apreendida em outubro foi levantada nesta terça-feira (14) pelo ministro do Interior, Arnaldo Giuzzio. Segundo ele, em entrevista ao ABC Color, o caso envolve muito prejuízo ao narcotráfico e nesse tipo de ocorrências alguns desdobramentos já eram esperados.

Ainda segundo a polícia, os pistoleiros agiram com armas de calibre 9 mm e 5,56, em uma operação que foi muito bem planejada. Antes da execução, os pistoleiros haviam sequestrado o segurança particular do quarteirão e um amigo da família por algumas horas.

O crime aconteceu às 20h do domingo, quando quatro pessoas se aproximaram da casa do empresário e renderam o segurança. Ele foi ameaçado com uma arma na cabeça, para que não gritasse. Depois, ele foi amarrado e colocado em um carro no qual deram várias voltas no quarteirão.

Nesse intervalo, outro funcionário do empresário chegou a casa para devolver um veículo que usava. Enquanto se preparava para deixar a chave do carro na guarita, foi surpreendido pelos bandidos, que também o amarraram e colocaram no mesmo veículo em que estava o segurança.

Jornal Midiamax