Polícia

Polícia encontra material genético de ex-presidente do PSL em roupas e carro de advogado

Polícia encerrou o inquérito nesta sexta

Diego Alves Publicado em 28/05/2021, às 23h01

None

Perícia da Polícia Civil encontrou material genético da ex-presidente do Diretório Municipal do PSL (Partido Social Liberal) de Nova Andradina, Fernanda Daniele de Paula Ribeiro dos Santos, 36, em roupas e no carro do advogado Alexandre França Pessoa, 46, com quem a vítima teve relacionamento amoroso.

Vítima de feminicídio, Fernanda foi encontrada morta com um corte profundo no pescoço em um milharal, nas margens da MS-276, entre Batayporã e Nova Andradina, na manhã do dia 29 do mês passado. A Polícia Civil de Batayporã, com apoio do SIG (Setor de Investigações Gerais) de Nova Andradina, encerrou o inquérito nesta sexta-feira (28). O advogado encontra-se preso no Presídio Militar em Campo Grande.

De acordo com a polícia, o autor nega o crime e reservou-se no direito de permanecer em silêncio. Ainda segundo a polícia, Fernanda e Alexandre possuíam um relacionamento muito conturbado.

No dia do crime, ambos marcaram um encontro no início da noite do dia 28, fato este comprovado em perícia do telefone celular do advogado, em imagens de câmeras de segurança do entorno da cidade e oitiva de testemunhas.

Foi feita apreensão de telefone celular, roupas e o veículo do investigado que foram submetidos a exame pericial e análise, na qual foi colhido elementos suficientes para se representar pela prisão temporária dele, diz a polícia. A prisão também contou com manifestação favorável do Ministério Público e decretação pelo Poder Judiciário da prisão temporária. O notebook pessoal da vítima também foi periciado, e segundo as investigações, motivou a prisão do suspeito de início.

A polícia representou pela prisão preventiva de Alexandre que tentou se desfazer de “elementos probatórios atinentes à investigação”. O prazo da prisão temporária (30 dias) do suspeito termina na próxima segunda-feira (31), dia em que o inquérito será remetido ao Poder Judiciário e Ministério Público.

Jornal Midiamax