Polícia

Polícia da fronteira de MS investiga esquartejamento de cachorro em ritual macabro

Animal foi decapitado, teve a cabeça cravada com agulhas e as patas decepadas

Marcos Morandi Publicado em 28/07/2021, às 07h14

Moradora encontrou parte do material que teria sido utilizado na morte do animal
Moradora encontrou parte do material que teria sido utilizado na morte do animal

A Guarda Municipal da Fronteira investiga denúncias de maus-tratos contra um cachorro na última terça-feira (27), em Ponta Porã, cidade de Mato Grosso do Sul, distante 320 quilômetros de Campo Grande, que faz fronteira com Pedro Juan Caballero, no Paraguai. O fato aconteceu no Jardim Marambaia, por voltas 18h40.

Segundo informação da equipe que atendeu a ocorrência, uma moradora foi encontrada com uma caixa contendo um cachorro que foi degolado e teve a cabeça cravada com agulhas. Além disso, as patas do animal também estavam decapitadas.

Ainda de acordo com informações dos agentes da Guarda Municipal que estiveram no local e constaram o esquartejamento do cachorro, há evidências de que as agressões façam parte de um ritual macabro, onde o animal foi sacrificado com requintes de crueldade.

Câmeras de circuito externo de videomonitoramento estão sendo recuperadas pelos agentes com o objetivo de identificar a autoria desse ritual macabro, que caso seja descoberto será enquadrado pela Lei nº 9.605 de 12 de fevereiro de 1998 em seu artigo 32.

Praticar ato de abuso, maus-tratos, ferir ou mutilar animais silvestres, domésticos ou domesticados, nativos ou exóticos pode resultar em multa, além de pena de detenção de três meses a um ano.

Segundo o secretário de Segurança de Ponta Porã, Marcelino Nunes de Oliveira, caso algum morador tenha informações que leve à identificação do autor, pode entrar em contato pelo telefone 153, da Guarda Municipal da Fronteira ou ainda pelo 190 da Polícia Militar.

Jornal Midiamax