Polícia

Polícia boliviana prende narcotraficante ligado ao crime organizado no Brasil

De nacionalidade paraguaia, criminoso estava foragido desde 2014, quando foi desencadeada a Operação Nilo

Marcos Morandi Publicado em 06/10/2021, às 10h27

Criminoso foi entregue esta manhã por membros da FELC boliviana a agentes especiais da Senad
Criminoso foi entregue esta manhã por membros da FELC boliviana a agentes especiais da Senad - Senad

Juan Carlos Da Rosa González, de 53 anos, chefe da organização internacional de tráfico desarticulada pela Senad (Secretaria Nacional Antidrogas) durante a Operação Nilo,  em 2014, era um foragido da justiça paraguaia e foi preso na manhã desta quarta-feira (6). As ações coordenadas de inteligência junto às autoridades bolivianas finalmente conseguiram localizar seu paradeiro em Santa Cruz.

O criminoso foi entregue por membros da FELC boliviana a agentes especiais da Senad, na fronteira com o Chaco. Ele tem um histórico de tráfico de drogas e sequestros no país vizinho e teria ligações com estruturas criminosas na Colômbia, Bolívia, Brasil e Israel.

Segundo relatórios das autoridades bolivianas, Juan Carlos também era procurado por tráfico de drogas desde 1995, no âmbito da operação “Esperanza” que havia permitido o desmantelamento de uma organização dedicada ao narcotráfico na Bolívia, a qual estava ativamente vinculado. Em 2012, ele havia liderado o sequestro de um ex-senador boliviano.

Em abril de 2014 , segundo a Senad, uma série de operações ocorreram em vários pontos do Paraguai. Além da captura de cinco narcotraficantes, durante a Operação Nilo, foram apreendidos 36 quilos de cocaína, que estavam escondidos em uma casa em Areguá, usada como depósito.

Jornal Midiamax