Polícia

PMA apreende 150 metros de redes em lago da usina em Anaurilândia

Durante fiscalização no lago da usina Sérgio Motta no rio Paraná, Policiais Militares Ambientais do Grupamento de Anaurilândia abordaram quatro embarcações com 11 pescadores profissionais e 10 embarcações com 22 pescadores amadores que pescavam dentro das normas. Porém, durante os trabalhos, iniciado desde a madrugada, até início da noite de ontem (20), duas redes de […]

Fábio Oruê Publicado em 21/03/2021, às 22h48 - Atualizado às 22h53

PMA fiscalizou lago da usina. (Foto: Divulgação/ PMA).
PMA fiscalizou lago da usina. (Foto: Divulgação/ PMA). - PMA fiscalizou lago da usina. (Foto: Divulgação/ PMA).

Durante fiscalização no lago da usina Sérgio Motta no rio Paraná, Policiais Militares Ambientais do Grupamento de Anaurilândia abordaram quatro embarcações com 11 pescadores profissionais e 10 embarcações com 22 pescadores amadores que pescavam dentro das normas.

Porém, durante os trabalhos, iniciado desde a madrugada, até início da noite de ontem (20), duas redes de pesca armadas, medindo ao todo 150 metros, foram apreendidas. Os infratores não foram identificados.

Uma das preocupações da Polícia Militar Ambiental relativamente à pesca predatória é o uso desses tipos de petrechos proibidos com grande poder de depredação de cardumes como as redes de pesca, especialmente nas proximidades das comportas da usina, onde a pesca é proibida em até 1.500 metros de distância, tendo em vista que o local é área de concentração de cardumes.

A manutenção da fiscalização e retirada destes petrechos precisam ser constantes, tendo em vista, a grande capacidade de captura e ocasionamento de mortes dos peixes, pois, os elementos armam o material pela madrugada e ficam somente conferindo, quando não observam presença da fiscalização, o que torna a prisão dos elementos que armam os petrechos ilegais muito difícil, devido ao pouco tempo que ficam nos rios.

Jornal Midiamax