Polícia

Pintor que matou major do Exército tem pena reduzida quase um ano após julgamento

Acusação conseguiu aumento de pena na época

Renata Portela Publicado em 24/11/2021, às 18h13

Major foi assassinado com uma facada
Major foi assassinado com uma facada - (Divulgação)

Nesta quarta-feira (24), foi determinada redução da pena de Bruno da Rocha, condenado pelo homicídio do major do Exército Brasileiro e professor campo-grandense, Paulo Setterval. O crime aconteceu em 14 de abril de 2019, na frente de um hotel em Bonito, e Bruno foi julgado em dezembro de 2020.

Após o julgamento, a acusação fez pedido para aumento da pena do réu, que foi acatado pela 2ª Câmara Criminal do TJMS (Tribunal de Justiça de Mato Grosso do Sul). Em maio deste ano, a pena do acusado foi para 16 anos e 6 meses de reclusão. Dias depois, a defesa de Bruno, feita pelo advogado Lucas Arguelho, entrou com recurso para redução da pena.

Assim, nesta quarta desembargadores do TJMS, da 1ª Seção Criminal, julgaram o recurso da defesa, que foi parcialmente provido, reduzindo a pena para 13 anos e 9 meses.

Relembre o caso

No dia do assassinato, Paulo estava em Bonito a passeio com a esposa e amigos. Durante a noite, foi para a frente do hotel no qual estava hospedado, quando Bruno passou em uma bicicleta e pediu um cigarro.

Paulo disse que não tinha cigarro e Bruno foi embora, mas retornou minutos depois, abordando Paulo novamente. A vítima foi atingida com um golpe de faca na região do tórax. Bruno foi denunciado por homicídio qualificado por motivo fútil e recurso que dificultou a defesa da vítima, uma vez que foi atingido pela facada quando se virou para ver quem estava falando com ele.

Jornal Midiamax