Polícia

Narcotráfico perde mais de US$ 13 milhões de dólares após 7 dias de operação na fronteira

Ação que envolve a Polícia Federal do Brasil, com uso de helicópteros, e a Secretaria Nacional Antidrogas do Paraguai já destruiu 140 hectares de plantações de maconha

Marcos Morandi Publicado em 31/08/2021, às 11h05

Operação faz diligências aéreas e terrestres em fazendas clandestinas de produção de maconha
Operação faz diligências aéreas e terrestres em fazendas clandestinas de produção de maconha - Senad

A ação conjunta entre a Polícia Federal do Brasil e a Senad (Secretaria Nacional Antidrogas) do Paraguai já causa prejuízo de mais de 13 milhões de dólares ao narcotráfico internacional em apenas sete de dias de imersão nas lavouras de maconha de cidades paraguaias que fazem fronteira com o Brasil.

Um levantamento divulgado, na manhã desta terça-feira (31), mostra que, em apenas sete dias de sobrevoos e diligências terrestres, 140 hectares de plantações de maconha foram erradicados, representando um potencial de produção final de aproximadamente 420 toneladas da droga pronta, que seriam colocadas no mercado.

As diligências desencadeadas pelos dois países foram concentradas, durante esses primeiros dias, em cidades como Cerro Kuatiá, Cadete Boquerón e Rosalina, localizadas na área de Capitán Bado.

Agora, a maior parte do efetivo operacional foi transferida para Pedro Juan Caballero, na fronteira com Ponta Porã, para continuar com as tarefas em outras áreas com alta concentração de plantações ilícitas.

A operação "Nueva Alianza XXVII" nasceu a partir de um acordo internacional entre a Senad e a Polícia Federal do Brasil, que, desde 2014, vem cooperando fortemente no âmbito da responsabilidade compartilhada de combate ao crime organizado na região de fronteira entre os dois países.

Jornal Midiamax