Polícia

Motorista de BMW que matou enfermeira no trânsito é denunciado por emboscada e traição

O MPMS (Ministério Pública Estadual) ofereceu na última sexta-feira (5) denúncia contra Wilson Benevides de Souza pela morte da enfermeira Carla Jaqueline Miranda de 40 anos, em um acidente no dia 24 de janeiro, na rua Veridiana com a Avenida Prefeito Heráclito José Diniz de Figueiredo, em Campo Grande. Na denúncia, o promotor Douglas Oldergado […]

Thatiana Melo Publicado em 07/02/2021, às 15h31 - Atualizado em 08/02/2021, às 07h54

(Arquivo)
(Arquivo) - (Arquivo)

O MPMS (Ministério Pública Estadual) ofereceu na última sexta-feira (5) denúncia contra Wilson Benevides de Souza pela morte da enfermeira Carla Jaqueline Miranda de 40 anos, em um acidente no dia 24 de janeiro, na rua Veridiana com a Avenida Prefeito Heráclito José Diniz de Figueiredo, em Campo Grande.

Na denúncia, o promotor Douglas Oldergado Cavalheiro afirma que na intenção der assegurar a impunidade de outro crime, Wilson acabou cometendo a morte da enfermeira ao assumir o risco dirigindo em alta velocidade e embriagado com recurso que dificultou a defesa da vítima.

Wilson foi denunciado pelo artigo 121 do Código Penal, que é matar alguém, com as qualificadoras de traição e emboscada:

Art. 121. Matar alguém:

  • 2º Se o homicídio é cometido:

III – com emprego de veneno, fogo, explosivo, asfixia, tortura ou outro meio insidioso ou cruel, ou de que possa resultar perigo comum;

IV – à traição, de emboscada, ou mediante dissimulação ou outro recurso que dificulte ou torne impossivel a defesa do ofendido;

V – para assegurar a execução, a ocultação, a impunidade ou vantagem de outro crime.

Ainda o promotor afirma que Wilson Benevides de Souza, ao “conduzir automóvel sem habilitação, embriagado, com velocidade excessiva no sentido contrário ao fluxo de direção de via aberta ao passeio e ao trafego público, realizando ultrapassagem proibida, colocou em risco número indeterminado de pessoas, praticando, portanto, o delito com emprego de perigo comum”.

Wilson está preso desde o dia 25 de janeiro tendo sua prisão preventiva decretada no dia 26 de janeiro. Interrogado pela Polícia Civil, ele confirmou que estava com a documentação do veículo BMW, com placas de São Paulo, atrasada em aproximadamente R$ 15 mil e por isso fugiu ao ver a viatura da Polícia Militar.

O condutor também contou que comemorava seu aniversário no domingo (24) à tarde e teria ido ao Autódromo de Campo Grande, onde ingeriu bebida alcoólica e fez uso de maconha. Ele confirmou que depois seguiu até uma tabacaria, onde também bebeu. Depois, quando levava o colega embora, viu a viatura da PM e fugiu por conta da documentação atrasada.

Os militares iniciaram acompanhamento tático, quando perderam o veículo de vista. Então, ao chegar no semáforo na rua Veridiana, o condutor da BMW acessou a contramão da via, onde ainda trafegou por cerca de 400 metros, quando atingiu frontalmente a Honda Biz, conduzida por Carla. A vítima chegou a ser lançada a cerca de 10 metros da colisão e morreu no local. Já a Biz foi arrastada por cerca de 100 metros, permanecendo presa a BMW.

O condutor ainda tentou fugir, mas colidiu contra o meio fio e parou. Ele fez o teste do bafômetro, que apontou 0,57mg/l e foi encaminhado para a Depac Centro. Wilson tem uma vasta ficha criminal, entre tráfico de drogas e até homicídios.

Jornal Midiamax