Polícia

Moradora conta que ouviu 10 tiros em rua onde jovem foi executado no Aero Rancho

Ela estava com o filho de um ano no momento do atentado

Renata Portela e Danielle Errobidarte Publicado em 27/12/2021, às 09h47

Tiros atingiram muros das casas
Tiros atingiram muros das casas - (Foto: Marcos Ermínio, Midiamax)

O atentado que vitimou Douglas Felipe Prudêncio Rolon, de 19 anos, foi ouvido por moradores na região ao Aero Rancho. O crime aconteceu no início da tarde de domingo (26), no cruzamento das ruas Ribeirão das Neves e Moçambique.

Uma moradora contou ao Midiamax que ouviu o barulho alto e pensou que seria um pneu de carro estourando, por conta das pedras na rua. Ela chegou a sair na frente da casa para ver o que tinha acontecido, mas ouviu vários outros disparos, aproximadamente 10 tiros ao todo segundo a testemunha.

Como estava com o filho de 1 ano e 6 meses, ela correu para dentro da residência com a criança e não viu o ocorrido. Segundo a polícia, Douglas estava acompanhado de um familiar, de 31 anos, que seria o alvo do atirador. Os dois estavam em um Corsa, com uma outra testemunha de 26 anos, e seguiam para a casa de uma parente para o almoço.

Quando pararam no cruzamento, foram surpreendidos pelo atirador que estava em uma motocicleta Honda Fan azul. O suspeito desceu atirando e atingiu as duas vítimas. O homem de 31 anos tentou correr e foi atingido nas costas, enquanto Douglas foi ferido com tiros na cabeça e pescoço.

Socorrido, Douglas acabou falecendo na Santa Casa de Campo Grande. Equipe do GOI (Grupo de Operações e Investigações) esteve no local do atentado e coletou sete cápsulas deflagradas calibre .380, quatro de calibre .9mm, dois núcleos bastante deformados e uma munição intacta calibre .9mm.

O homem de 31 anos, relatou a polícia que seria o alvo do atirador, conhecido como Cuiabano, com quem tinha um desentendimento. A moto usada no crime foi encontrada pela equipe do GOI escondida na casa da mãe do suspeito.

O caso é tratado como homicídio simples e tentativa de homicídio e foi registrado na Depac (Delegacia de Pronto Atendimento Comunitário) Cepol.

Jornal Midiamax