Polícia

Militares são condenados a 9 anos e expulsos da PMMS por extorquirem fazendeiro

Eles cumprirão pena em regime fechado

Renata Portela Publicado em 29/09/2021, às 18h00

Imagem ilustrativa
Imagem ilustrativa - (Arquivo, Midiamax)

Foram condenados os militares da PMMS (Polícia Militar de Mato Grosso do Sul) Luiz Carlos de Oliveira, Sidnei Alves de Oliveira e Roney dos Santos Oliveira. Eles são acusados de extorquirem em R$ 3 mil um fazendeiro de Ribas do Rio Pardo, município distante 97 quilômetros de Campo Grande e, pelo crime, cumprirão pena de exclusão e 9 anos de prisão.

Segundo a denúncia apresentada pelo MPMS (Ministério Público de Mato Grosso do Sul), no dia 26 de maio de 2020, por volta das 13 horas, os policiais foram até a fazenda em uma viatura caracterizada, para fiscalização de rotina. O fazendeiro fazia queima controlada de catação de tocos e raízes na propriedade.

Abordado, ele entregou a autorização para aproveitamento de material lenhoso e a declaração ambiental, demonstrando que a atividade era regular. Mesmo assim, os policiais alegaram que os documentos estavam irregulares e exigiram um ‘acordo’ para não multarem a vítima. Eles cobraram R$ 3 mil, valor que foi pago em cheque.

No dia 28 de maio, o cheque foi depositado. A vítima contou os fatos para a esposa, que denunciou o crime à Corregedoria da Polícia Militar. A partir da investigação, o trio foi denunciado e agora condenado pelo crime de extorsão simples.

Conforme sentença assinada pelo juiz Alexandre Antunes da Silva, a decisão dos oficiais do Conselho Permanente de Justiça, da Auditoria Militar, julgou procedente a denúncia, por maioria, para condenar os réus. Após análise, foi definida pena de 9 anos e 4 meses de reclusão, a ser cumprida em regime fechado.

Além disso, o Conselho ainda votou por unanimidade pela aplicação da pena acessória de exclusão dos quadros da PMMS.

Jornal Midiamax