Polícia

Militar que matou mulher atropelada pode ter CNH suspensa para ganhar liberdade

Acusação ainda pediu pagamento de fiança

Renata Portela Publicado em 16/06/2021, às 14h20

Uma pessoa morreu e outra ficou ferida no atropelamento
Uma pessoa morreu e outra ficou ferida no atropelamento - (Foto: Diário Corumbaense)

Ainda na noite de terça-feira (15), após a defesa do militar da reserva da Marinha Evanir Garcia de Paula, 55 anos, fazer pedido de liberdade, a acusação se manifestou a favor. Evanir foi preso na noite de segunda-feira (14), após atropelar e matar Cristiane do Carmo Alves Faria, de 39 anos, e deixar um homem de 38 anos ferido, em Corumbá, a 444 quilômetros de Campo Grande.

O MPMS (Ministério Público de Mato Grosso do Sul) foi a favor da liberdade do militar, no entanto mediante o cumprimento das medidas cautelares diversas da prisão. São elas a suspensão da permissão ou da habilitação para dirigir veículo automotor, comparecimento em juízo periódico, proibição de se ausentar da comarca, recolhimento domiciliar noturno e nos dias de folga, além do pagamento de fiança.

Ainda é aguardada a decisão.

Relembre o caso

O militar estava em uma camionete S10, dirigindo para a casa de uma sobrinha, onde buscaria um celular. Ele disse que havia saído de um sítio, onde havia ingerido bebidas alcóolicas. A camionete seguia pela Avenida Rio Branco em alta velocidade, quando atropelou as duas pessoas que faziam caminhada naquele local.

Com o atropelamento, Cristiane morreu no local. O homem foi socorrido pelo Corpo de Bombeiros e o militar foi preso em flagrante. Foi solicitado apoio da equipe da PRF (Policia Rodoviária Federal) para fazer o teste do etilômetro, que constatou 0,82 mg/l.

Em nota a Marinha disse lamentar o acidente, “A Marinha do Brasil (MB), por meio do Comando do 6º Distrito Naval (Com6ºDN), informa que tomou conhecimento do envolvimento de militar da reserva em acidente ocorrido no início da noite de ontem (14), na Avenida Rio Branco, em Corumbá-MS. O militar foi detido pela Polícia Militar, encontra-se recolhido na Delegacia de Polícia Civil de Corumbá e será transferido para o estabelecimento prisional do Com6ºDN, onde ficará à disposição da Justiça. A MB lamenta o ocorrido e se solidariza com os familiares e entes próximos da vítima.”

Jornal Midiamax