Polícia / Trânsito

Militar da marinha que matou mulher atropelada quando fazia caminhada continuará preso

Ele confessou que bebeu e que estava cindo buscar um celular quando o acidente aconteceu

Thatiana Melo Publicado em 15/06/2021, às 11h03

None
Local do acidente (divulgação)

O militar da Marinha, Evanir Garcia de Paula de 55 anos que matou atropelada Cristiane Alves do Carmo Farias, de 39 anos, na noite desta segunda-feira (14) em Corumbá, cidade a 427 quilômetros de Campo Grande permanecerá preso.

Em nota a Marinha disse lamentar o acidente, “A Marinha do Brasil (MB), por meio do Comando do 6º Distrito Naval (Com6ºDN), informa que tomou conhecimento do envolvimento de militar da reserva em acidente ocorrido no início da noite de ontem (14), na Avenida Rio Branco, em Corumbá-MS. O militar foi detido pela Polícia Militar, encontra-se recolhido na Delegacia de Polícia Civil de Corumbá e será transferido para o estabelecimento prisional do Com6ºDN, onde ficará à disposição da Justiça. A MB lamenta o ocorrido e se solidariza com os familiares e entes próximos da vítima.”

O militar estava em uma camionete S10 indo em direção a casa de uma sobrinha para buscar um celular. Ele disse que havia saído de um sítio onde havia ingerido bebidas alcóolicas. A camionete seguia pela Avenida Rio Branco sentido leste oeste em alta velocidade, quando, em frente ao Corpo Bombeiros, colidiu a parte dianteira do veículo contra duas pessoas que faziam caminhada naquele local.

Com a colisão, Cristiane morreu no local. A outra vítima foi socorrida pelos bombeiros e encaminhado ao pronto socorro com lesões corporais. Ele falou que seguia para a casa de uma sobrinha onde iria buscar um celular, momento em que houve o acidente.

Foi solicitado apoio da equipe da PRF (Policia Rodoviária Federal) para fazer o teste do etilômetro onde foi constatado 0,82 mg/l. Ele foi preso em flagrante e levado à delegacia.

Jornal Midiamax