Polícia

Médico denunciado por beijar nádegas de secretária é investigado e polícia ouve testemunhas

Vítima foi ouvida na delegacia

Renata Portela Publicado em 28/04/2021, às 17h16

Caso é investigado pela Deam
Caso é investigado pela Deam - (Arquivo, Midiamax)

Uma semana após a denúncia feita por uma secretária contra o ex-chefe, um médico de 60 anos, a Polícia Civil ouve testemunhas sobre o caso. A vítima procurou a delegacia na última quarta-feira (21), após ter sido importunada pelo idoso, que teria beijado as nádegas da jovem durante uma consulta.

Segundo a delegada Fernanda Félix, titular da Deam (Delegacia Especializada de Atendimento à Mulher), a vítima foi ouvida novamente e confirmou os fatos apresentados no boletim de ocorrência. Testemunhas do caso também passam a serem ouvidas e, por último, o médico acusado deve prestar depoimento.

Ele é investigado pelo crime de importunação sexual e, conforme o registro policial, chegou a alegar no dia dos fatos que a vítima tinha ‘dado abertura’ para ele.

Entenda o caso

A vítima procurou a Deam e relatou que trabalhou na clínica por aproximadamente 15 dias, como secretária. No dia 19, por volta das 9 horas, o médico teria oferecido para examinar a jovem, que aceitou, imaginando que seria um procedimento médico de rotina.

Assim, o médico fez um exame de abdômen, constatando que ela não tinha nenhum problema de vesícula. Em seguida, fez um ultrassom na virilha e depois entregou guardanapos para que ela se limpasse do produto usado no procedimento.

Neste momento, conforme o relato, o médico teria tentado limpar a vítima. Porém, constrangida com o abuso, ela saiu da maca rapidamente e ficou de costas para ele enquanto se limpava. O homem se aproximou e então a beijou nas nádegas, aproveitando-se que as calças dela estavam levemente abaixadas em razão dos exames.

O médico ainda teria feito comentários inadequados sobre o corpo da vítima, dizendo “Me desculpa, eu não resisti! Você está de parabéns”. Após o ocorrido, a funcionária se desligou da empresa e foi, juntamente com o marido, conversar com o médico sobre o ocorrido.

O suspeito tentou alegar que a vítima havia dado abertura a ele. Contudo, na presença do marido dela, mudou o discurso, pediu desculpas, assumiu o erro e pediu para que a vítima continuasse trabalhando com ele, mas o pedido foi negado.

Jornal Midiamax