Polícia

Mecânico e serralheiro enganaram a Justiça com notas falsas para recuperar bens penhorados

No entanto, a fraude foi descoberta e a dupla responde por estelionato

Renan Nucci Publicado em 15/06/2021, às 17h50

None
Foto ilustrativa de um elevador de veículos

Um mecânico e um serralheiro respondem ação penal por estelionato na cidade de Jardim, a 239 quilômetros de Campo Grande, após trapaça contra a Justiça. Eles foram denunciados pelo MPMS (Ministério Público Estadual de Mato Grosso do Sul) acusados de usarem notas falsas para tentar recuperar elevadores de veículos penhorados por conta de dívidas. Contudo, a fraude foi descoberta.

Consta nos autos do processo que o serralheiro levou o veículo para manutenção na oficina do mecânico que, por sua vez, alegou que estava sem dois elevadores de automóveis que haviam sido recolhidos em acerto de contas. Neste sentido, o mecânico fez uma proposta a fim de reaver os equipamentos, em troca dos reparos necessários no carro do serralheiro.

Conforme o inquérito policial, o mecânico disse que na época, tinha ido para São Paulo fazer um curso, onde conheceu um indivíduo que lhe apresentou a fraude como um meio de driblar a Justiça. Sendo assim, ele pediu para o serralheiro que assinasse notas falsas, alegando que os elevadores eram seus, motivo pelo qual não poderiam ser apreendidos.

Ou seja, os documentos confirmariam que os elevadores eram do serralheiro e que este, em contrapartida, havia apenas emprestado ao colega mecânico. Sendo assim, teriam que ser devolvidos. Para tanto, usaram as notas de uma empresa de soldas a qual o mecânico havia solicitado uma cotação semanas antes. E assim o golpe foi aplicado.

O mecânico apresentou as notas falsificadas assinadas pelo serralheiro e entregou ao advogado que, sem saber do plano, repassou à Justiça. O Poder Judiciário inicialmente aceitou os documentos. Contudo, o advogado da parte que havia recebido tais elevadores como garantia questionou a origem das notas e descobriu tudo.

Diante dos fatos, os dois comparsas foram indiciados e denunciados por estelionato tentado.

Jornal Midiamax