Polícia

Mantida prisão de homem que assassinou amigo a socos durante bebedeira

Ele chegou a agredir a vítima já desmaiada

Renata Portela Publicado em 20/07/2021, às 12h45

Vítima foi encontrada morta após o espancamento
Vítima foi encontrada morta após o espancamento - (Foto: Henrique Arakaki, Midiamax)

Foi convertido em prisão preventiva o flagrante do pintor, de 45 anos, acusado de espancar Francisco Hermes da Silva, de 48 anos, até a morte em casa, na Chácara das Mansões. Testemunhas teriam alegado que ele costuma se prevalecer sobre os amigos e que tem fama de ser agressivo.

O crime teria acontecido durante o final de semana e o corpo de Francisco foi encontrado na manhã de segunda-feira (20), quando o autor do crime foi preso. Ele responde por lesão corporal seguida de morte e contou à polícia como o crime aconteceu, após ter tentado mentir para os agentes do GOI (Grupo de Operações e Investigações).

Testemunhas relataram aos policiais que o pintor é muito agressivo, principalmente, quando ingere bebidas alcoólicas, e que Francisco, conhecido como ‘Garganta’, havia sido visto ensanguentado caído na varanda da casa do autor, que se recusou a chamar o socorro para a vítima que respirava com dificuldade após ser agredida.

Quando já estava no chão desmaiado, Francisco continuou sendo agredido pelo amigo que ainda jogou um balde de água na vítima, que ficou no chão até às 10 horas da manhã de segunda (19), quando populares resolveram chamar a polícia ao perceberem que ‘Garganta’ estava morto.

O Samu (Serviço de Atendimento Móvel de Urgência) também foi acionado, mas Francisco já estava morto. O pintor disse que não teria chamado o socorro antes porque seu celular estava carregando e percebeu que Francisco ainda estava respirando.

Ele apresentou várias versões para o crime, chegando a gaguejar. A última versão foi a de que Francisco teria caído na sala e batido a cabeça em uma mureta, depois foi arrastado pelo amigo para a varanda, onde permaneceu e pernoitou. Mesmo com o frio da madrugada, o ‘amigo’ teria deixado a vítima no local.

Uma terceira pessoa que bebeu junto com a dupla no sábado revelou, então, que presenciou os amigos discutirem e o autor agredir a vítima com socos. Francisco caiu no chão e teve sangramento intenso no rosto, mas mesmo assim o acusado continuou com as agressões. A vítima ficou desacordada e a testemunha foi embora.

Jornal Midiamax