Polícia

Mais de 10 testemunhas já foram ouvidas sobre caso de Leandro morto com tiro no olho

Câmeras de segurança mostram uma pessoa passando no momento do crime, mas não revela rosto de autor

Thatiana Melo e Danielle Errobidarte Publicado em 25/11/2021, às 11h09

None
(Reprodução)

Mais de 10 testemunhas já foram ouvidas no caso de Leandro da Silva Cavalcanti, de 20 anos, assassinado com um tiro no olho, no bairro Aero Rancho, em Campo Grande, no dia 23 de março deste ano. Ele estava em frente de sua casa quando aconteceu o crime.

Segundo o delegado Gustavo Bueno, no dia do crime, as meninas que estavam com Leandro na casa não viram o assassino, já que tinham entrado para guardar as cadeiras que estavam em frente à residência. Ainda de acordo com Bueno, nas imagens de câmeras de segurança, aparece uma pessoa passando, mas não é possível ver o rosto. O assassinato aconteceu logo que as três meninas estavam guardando as cadeiras. 

O delegado disse que as investigações estão bem avançadas, mas que não pode revelar mais detalhes para não atrapalhar o caso. Na época, se  levantou a hipótese que o ex-namorado da atual de Leandro seria o mandante do crime, mas nada foi confirmado. Conhecidos do rapaz contaram que ele teria começado a se relacionar com uma jovem, que tem um filho pequeno.

A criança seria filha fruto de relacionamento anterior, que ela teve com um homem que depois acabou preso por tráfico de drogas. Ao saberem que ele estava se envolvendo com a jovem, teriam alertado sobre o ex. Isso porque o suspeito não gostava dos amigos dela.

Conforme testemunhas, ele era “mal-encarado” e os amigos teriam avisado Leandro que deveria se afastar da jovem, com quem estava se relacionando há aproximadamente um mês. Para os conhecidos, o detento, que já chegou a fugir e ser recapturado algumas vezes, seria o autor ou mandante do crime.

O assassinato

O assassinato aconteceu por volta das 2 horas, quando Leandro estava sentado na frente da residência. Neste momento, o autor teria passado, encarando o grupo, e as mulheres decidiram entrar na casa por medo.

Foi nesse momento que o autor voltou e fez os disparos contra Leandro, o acertando no tórax, orelha e olho. O Samu (Serviço de Atendimento Móvel de Urgência) foi acionado, mas a vítima já estava morta. Pelo menos cinco projéteis foram recolhidos no local.

Segundo o irmão de Leandro, ele estava sendo ameaçado pelo Facebook. Amigas contaram que o autor fugiu em seguida com um comparsa que estava esperando na esquina em uma motocicleta. Ele era negro, magro e estava de blusa de cor azul.

Jornal Midiamax