Polícia

Mãe do empresário executado presenciou crime e ouviu discussão sobre dívidas, diz polícia

Mulher contou aos investigadores que ouviu sobre cobrança de suposta dívida

Graziela Rezende Publicado em 31/12/2021, às 16h18

None
Reginaldo foi morto a tiros por um homem em uma moto - (Foto: Marcos Ermínio, Midiamax)

A Polícia Civil diz que a mãe do empresário Reginaldo dos Anjos da Silva, de 49 anos, executado na manhã desta sexta-feira (31), na rua Verde Louro, Jardim Tarumã, em Campo Grande, estava perto do filho no momento do crime. Aos investigadores, ela contou que ouviu a discussão sobre uma suposta dívida. No entanto, ela não sabia detalhes, somente que Reginaldo emprestava dinheiro em algumas ocasiões. 

Ao Jornal Midiamax o delegado André Luiz Mendonça, plantonista da Delegacia de Pronto Atendimento Comunitário (Depac) do Centro Especializado de Polícia (Cepol), disse que a mãe ainda estava “em choque” pelo fato de ter presenciado o crime e não sabia falar muitos detalhes, ressaltando apenas que o suspeito fugiu em uma motocicleta. 

“Nós ainda não ouvimos nenhuma pessoa aqui na delegacia, de maneira formal. O caso será encaminhado para o 6° Distrito de Polícia e lá serão feitas as intimações do caso. Logo após o crime, as equipes, incluindo o GOI [Grupo de Operações e Investigações], começaram a fazer os levantamentos, buscando imagens de câmeras que possam ter flagrado o suspeito”, afirmou Mendonça. 

De acordo com o delegado, foram recolhidas ao todo 12 cápsulas no local, seis delas teriam atingido o empresário. 

(Foto: Marcos Ermínio, Midiamax)

Grávida de gêmeos, esposa está abalada

Um familiar do empresário, que não será identificado pela reportagem, disse que a esposa da vítima ficou bem abalada, mas não precisou de internação médica. Ela está grávida de 7 meses de gêmeos. 

No decorrer do dia, o familiar ressaltou que ficou resolvendo os trâmites burocráticos do velório. “O horário ainda não foi marcado. Daqui a pouco acredito que já teremos uma definição e o corpo dele [vítima] ainda está no Imol [Instituto de Medicina e Odontologia Legal]”, disse. 

Vítima limpava casa quando foi alvejada

Testemunhas do crime contaram que Reginaldo era proprietário de três terrenos no local, sendo um deles a casa que alugava para festas. Nesta manhã (31), ele limpava o local, após uma festa realizada na última quarta-feira (29).

Enquanto ele trabalhava, o atirador teria chegado em uma motocicleta preta, vestindo uma jaqueta preta. A princípio, ele chamou Reginaldo e teria exigido que a vítima pagasse uma dívida. Os dois ainda discutiram, quando o autor fez os disparos. Foram aproximadamente 10 tiros.

Reginaldo foi atingido no braço, perna e cabeça e morreu momentos depois. Equipes da Polícia Militar, Batalhão de Choque, GOI (Grupo de Operações e Investigações) e Perícia foram ao local, onde foram encontradas 4 cápsulas, ao lado do corpo da vítima. O Corpo de Bombeiros também chegou a ser acionado, mas, Reginaldo já estava sem vida.

Jornal Midiamax