Polícia

Mãe confessa que deixou adolescente com deficiência para ir até fazenda com marido em MS

A mãe da adolescente de 16 anos com deficiência mental, encontrada trancada para fora de casa, sem acesso a banheiro, água e comida, foi ouvida pela Polícia Civil de Coxim, a 253 quilômetros de Campo Grande. Ela confessou que deixou a filha sozinha na casa localizada no bairro Senhor Divino, para ir com o marido, […]

Dayene Paz Publicado em 26/01/2021, às 12h37 - Atualizado às 12h39

Mãe nega que tenha deixado filha sozinha | Imagem: Edição de Notícias
Mãe nega que tenha deixado filha sozinha | Imagem: Edição de Notícias - Mãe nega que tenha deixado filha sozinha | Imagem: Edição de Notícias

A mãe da adolescente de 16 anos com deficiência mental, encontrada trancada para fora de casa, sem acesso a banheiro, água e comida, foi ouvida pela Polícia Civil de Coxim, a 253 quilômetros de Campo Grande. Ela confessou que deixou a filha sozinha na casa localizada no bairro Senhor Divino, para ir com o marido, padrasto da menina, até uma fazenda, no último dia 19 de janeiro. No entanto, ela afirma que não a deixou trancada na casa.

Ao delegado Felipe Paiva, da 1ª Delegacia de Polícia Civil, a mulher supõe que a menina tenha se trancado para o lado de fora. A mãe ainda relata que deixou a menina aos cuidados de uma mulher, que seria sua nora. Ao ser ouvida, a mulher nega ser nora da mãe da menina e também que teria ficado responsável pela adolescente. Essa mulher relata que somente no outro dia (quarta-feira, 20) a mãe da menina entrou em contato e pediu para ela ir até o endereço ver se estava tudo bem.

De acordo com o site Edição de Notícias, a adolescente diz que foi deixada para o lado de fora da casa pela mãe. Ela está sob os cuidados da rede de proteção e vai ser avaliada por uma psicóloga, que deve emitir um relatório à polícia com o que realmente aconteceu.

A adolescente tem 16 anos e foi resgatada no último sábado (23), depois de uma denúncia anônima que enviada à Polícia Militar. No local, os militares encontraram o portão trancado e a menina no quintal, sem acesso a casa. Um colchão estava na varanda, onde a adolescente dormia há quatro dias, sem acesso a água, comida e banheiro. A vítima se alimentava com ajuda da vizinhança.

O delegado informou que o caso foi encaminhado a DAM (Delegacia de Atendimento a Mulher), que analisará o caso e, caso comprovado o crime, a mãe poderá ser indiciada por abandono de incapaz, maus tratos e cárcere.

Jornal Midiamax