Polícia

Macacos, jabutis e papagaios: ‘zoológico’ ilegal matinha 29 animais em cativeiro em MS

Responsável foi multado em R$ 64 mil e responderá por crime ambiental

Renan Nucci Publicado em 05/05/2021, às 13h22

Macaco mantido em cativeiro foi resgatado pela polícia
Macaco mantido em cativeiro foi resgatado pela polícia - Divulgação

Homem de 78 anos foi multado em R$ 64 mil por manter em cativeiro 29 animais como macacos, jabutis e papagaios, em uma chácara na região do município de Cassilândia, a 430 quilômetros de Campo Grande. Os bichos foram resgatados em uma operação conjunta realizada na terça-feira (04), entre a Polícia Militar Ambiental, Imasul (Instituto de Meio Ambiente de Mato Grosso do Sul) e o Ibama (Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis).

As equipes chegaram ao local por meio de denúncia encaminhada à ouvidoria do  Ibama. Lá, os policiais e fiscais se depararam com sete araras, um casal de macaco-prego, um periquito, um papagaio, uma pomba silvestre e 17 jabutis, todos vítimas de maus-tratos. Com exceção das araras, que estavam com as asas cortadas e soltas na chácara, todos os outros animais eram mantidos em ambientes fechados. 

Fiscais do Ibama e da PMA durante resgate dos animais vítimas de maus-tratos em chácara de MS. Foto: Divulgação

Os bichos que não tinham origem legal e que foram capturados na natureza foram apreendidos. O proprietário afirmou que moradores da cidade entregavam a ele exemplares que chegavam machucados e ele cuidava. Porém, os Policiais e fiscais não acreditaram na história e suspeitam que ele mantinha os animais comércio e, inclusive, aparentemente ele estava reproduzindo alguns deles, como os jabutis, dentre os quais vários eram filhotes. 

Toda a criação era exibida nas redes sociais. Mesmo se fosse verdade a afirmação do infrator, seria preciso autorização do órgão ambiental para receber, possuir, ou manipular qualquer animal silvestre. Ele foi autuado administrativamente e foi multado em R$ 64 mil, por manter em cativeiro fauna silvestre sem autorização ambiental e responderá por crime ambiental, que tem pena prevista de seis meses a um ano de detenção. 

Os animais foram encaminhados ao Cras (Centro de Reabilitação de Animais Silvestres), em Campo Grande.

Jornal Midiamax